Prefeitura de Arcos aciona Copasa na Justiça para garantir abastecimento

Autarquia informou que não foi notificada pelo TJMG sobre o processo.
Executivo destaca que pode rescindir o contrato caso não haja investimento.

Prefeitura de Arcos pede garantia de abastecimento
na Justiça (Foto: Prefeitura de Arcos/Divulgação)

A Prefeitura de Arcos acionou a Justiça na última semana requerendo que a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) adote as providências necessárias para restabelecer e garantir o abastecimento regular de água potável na cidade. Contudo, a Copasa informou por meio de nota ao G1, que não foi notificada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) da ação movida.
Na ação, a Prefeitura declarou que uma solução definitiva para o município suprir a demanda da população seria a construção de uma nova captação. No processo consta também que se não houver compromisso da autarquia, Arcos poderá rescindir o contrato com a empresa e buscar através de licitação uma nova empresa para assumir o abastecimento de água na cidade.
A  Companhia esclareceu que está tomando todas as medidas para garantir o abastecimento de água e que nos últimos dias iniciou a operação de novos poços profundos e disponibilizou caminhões-pipa. Informou também, que está em elaboração um projeto para implantação de uma nova captação no córrego Candongas, garantindo assim o abastecimento da cidade mesmo em períodos de estiagem severa.
A assessoria de Arcos pondera que a Copasa atua na cidade há aproximadamente 40 anos e neste tempo não fez os investimentos necessários que acompanhassem esse crescimento. "Em várias tratativas com a direção da Copasa conseguimos alguns avanços. A perfuração de nove poços artesianos. Seis na cidade, um em Calciolândia e dois na Boca da Mata. Esses poços têm ajudado um pouco no abastecimento de toda a cidade, principalmente na região do Olaria, Alvorada, Nova Morada, Nova Morada II e Residencial Hilda Borges", destacou o Executivo em nota.
A Copasa não comentou se faltou investimentos na cidade.
Histórico
Em 2014, a seca mudou a rotina de moradores de várias cidades do Centro-Oeste do estado, como em Arcos, que durante muito tempo enfrentou problemas com a falta de abastecimento. Por causa da estiagem e redução do nível dos córregos das Almas e Vargem dos Britos - que abastecem a cidade, na ocasião a Copasa alterou o esquema de abastecimento em horários específicos.

 A estiagem também foi um problema amplamente discutido pelos produtores rurais que chegaram a tratar do assunto em uma mostra tecnológica ocorrida na cidade no mesmo ano.

Fonte: G1