Polícia Federal cumpriu mandado em empresa de Lavras/MG, suspeita de ligação com organização criminosa

A suspeita é de que a organização criminosa que fraudava licitações de compra de equipamentos hospitalares tenha tentáculo em Lavras

Fonte: Jornal de Lavras
 
Um mandado de busca e apreensão foi cumprido nesta terça-feira (30) em uma empresa de Lavras, suspeita de estar ligada a uma organização criminosa de fraude de licitações para compra de equipamentos em procedimentos de média e alta complexidade na Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso, no Sul de Minas. O prejuízo aos cofres públicos pode passar de R$ 1,3 milhão.
Uma investigação realizada pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle (MTFC) em 2014 se concentrou em convênios firmados entre a Santa Casa daquela cidade e o Ministério da Saúde no período de 2007 a 2013. De acordo com a Polícia Federal, cerca de 20 empresas de equipamentos hospitalares estariam envolvidas nessas irregularidades. A operação, denominada “Miserere Nobis”, expressão em Latim que em Português significa “Tende piedade de nós”, cumpre quatro mandados de busca e apreensão em empresas e instituições nas três cidades: São Sebastião do Paraíso, Belo Horizonte e Lavras.
As instituições do governo investigam além da suposta fraude nos processos licitatórios, supostas irregularidades em compras superfaturadas de equipamentos utilizados em procedimentos de média e alta complexidade, mas que não estariam de acordo com as necessidades e as condições operacionais do hospital, estelionato contra o Ministério da Saúde, falsidade ideológica de empresas, uso de documento falso e desvio de verbas em favor de empresas.
Em Lavras, um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido na manhã de hoje, terça-feira, na sede de uma empresa de licitações e assessoria que teria vencido o processo para prestar serviços para a Santa Casa de São Sebastião do Paraíso. A Polícia Federal ainda não divulgou o nome da empresa lavrense supostamente envolvida na irregularidade, para não atrapalhar as investigações. A empresa e alguns funcionários da Santa Casa de São Sebastião do Paraíso estão sob investigação de participar no esquema criminoso.