Polícia Civil prende suspeito de ser o 'maníaco da seringa' no Metrô de SP

Homem de 62 anos foi detido com 21 agulhas na estação Barra Funda.
Suspeito foi identificado por retrato falado; ele teria distúrbios mentais.

 (Foto Reprodução TV Globo)

Um morador de rua suspeito de atacar mulheres com seringas no Metrô de São Paulo foi preso nesta terça-feira (20) na estação Palmeiras-Barra Funda, da Linha 3-Vermelha, na Zona Oeste da capital. Segundo o delegado Rogério Marques, da Delegacia do Metropolitano (Delpom), Benedito José da Silva, de 62 anos, foi detido com 21 agulhas de seringas numa das plataformas de embarque.

A polícia suspeita que as agulhas foram coletadas em postos de saúde da capital. De acordo com o delegado, Silva, que teria distúrbios mentais, foi identificado por meio do retrato falado feito com base no relato da mãe de uma das vítimas. A mulher foi atacada na estação Sé do Metrô, no dia 18 de agosto. A mãe da vítima identificou o morador de rua como autor do ataque, afirmou o delegado.
Detido, o suspeito foi levado à delegacia, onde prestou depoimento. Em seguida, foi a um hospital para tratar feridas nas pernas, disse o delegado. Segundo Marques, já foi pedida sua prisão preventiva ou internação psiquiátrica.
A polícia aguarda agora a resposta da Justiça e segue com operações rotineiras de buscas por outros dois suspeitos de ataques com seringas no sistema público de transporte, afirmou Marques. As investigações são conduzidas pela Delpom.
Um outro homem suspeito do mesmo crime foi preso no dia 30 de julho.
Retrato falado digital
Retrato falado (à esq.) e a fotografia do suspeito de atacar com seringas no metrô (Foto: Reprodução/Polícia Civil)
 
No dia 15 de setembro, retratos falados de outros dois suspeitos de ataques com seringas foram divulgados pela polícia. Eles também teriam feito vítimas em estações do Metrô da capital. Um homem foi preso por ações semelhantes no fim de julho.

Quem tiver informação sobre os homens deve procurar o Disque-Denúncia (telefone 181) ou o WebDenúncia (www.webdenuncia.org.br). O sigilo é garantido.
Os ataques começaram a ser registrados em junho deste ano. Na época, uma médica peruana relatou ao caso ocorrido na Avenida Paulista, na esquina com a Rua Pamplona.
Posteriormente, outras mulheres contaram ter sido alvo de abordagens semelhantes em estações do Metrô.
Duas delas reconheceram o homem preso em 30 de julho como autor dos ataques.
Uma delas, Letícia Silva, disse que na manhã de 28 de agosto foi atacada na estação Sé do Metrô. Ela contou que sentiu uma picada nas costas e que, depois disso, o homem fugiu. Outra vítima, Ivana Fabiane, contou que foi atacada na entrada do Metrô Consolação, na Avenida Paulista.
"Estava descendo a escada na boca do Metrô [Consolação], eu senti como que uma picada de abelhas aqui. E não liguei. Cheguei em casa, minha blusa estava manchada de sangue, falei 'nossa, que coisa estranha'. Peguei e lavei. Não me importei com isso. Na semana passada, quando começaram a sair as reportagens eu associei com o que tinha me acontecido", disse Ivana.
O que aconteceu com Letícia foi semelhante. "Eu estava no Metrô Sé, dentro da estação, porém já fora do vagão. Foram três empurrões. Depois no último empurrão, quando eu estava quase saindo do Metrô Sé, foi onde ele me furou. Entendeu? Nas costas. Eu só perguntei o que ele queria. "O que você quer? Tá me seguindo, não tá querendo me roubar", porque eu já tinha colocado a bolsa na frente. Então, ficou com olho estalado, nervoso e correu", disse.
As mulheres atacadas fizeram exames e passaram por acompanhamento médico.
Seringas apreendidas com suspeito na estação Barra Funda do Metrô (Foto: Reprodução/Polícia Civil)Seringas apreendidas com suspeito na estação Barra Funda do Metrô (Foto: Reprodução/Polícia Civil)
Retrato digital divulgado pela polícia mostra suspeito de ataque com seringa em ônibus (Foto: Reprodução/TV Globo)Retrato digital mostra suspeito de ataque com seringa em ônibus (Foto: Reprodução/TV Globo)
Retratos falados de suspeitos de atacar mulheres com seringas no Metrô (Foto: Divulgação/SSP)Retratos falados de suspeitos de atacar mulheres com seringas no Metrô (Foto: Divulgação/SSP)

Fonte: G1