Polícia Civil prende quadrilha que explodiu agência do BB em Campestre/MG

Fonte: Jornal de Lavras

A Polícia Civil prendeu oito pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha que assaltou a agência do Banco do Brasil na madrugada da última terça-feira (6), na cidade de Campestre, no Sul de Minas, a prisão aconteceu na noite desta útima terça-feira, menos de 24 horas após o roubo. A operação que resultou na prisão dos assaltantes foi na rodovia Geraldo Martins Costa, a BR-146, em Poços de Caldas, os bandidos ainda trocaram tiros com a polícia.
A Polícia Civil já estava monitorando a quadrilha que é da região de Campinas, interior de São Paulo, policiais civis da delegacia de Alfenas foram comunicados sobre a quadrilha que estava na região. Após a explosão e o roubo, os policiais de Alfenas trocaram informações com policiais de Poços de Caldas.
Os investigadores da Polícia Civil de Poços de Caldas solicitaram  ajuda da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para fazer o cerco bloqueio na rodovia. Os federais usaram um artefato conhecido como "cama de faquir", uma esteira metálica com pontas que fura pneus de veículos quando passam por cima. Os federais deram sinal de parada para a quadrilha que estava num caminhão baú e a frente seguia uma batedora, que também foi presa.
O motorista do caminhão não obedeceu ao sinal de parada no posto da PRF e seguiu em alta velocidade, mas ao passar sobre a "cama de faquir", os pneus do caminhão furaram e o motorista foi obrigado a parar o caminhão. Neste momento deu início a uma intensa troca de tiros, de um lado os bandidos e do outro policiais civis e federais.
Três pessoas ficaram feridas, um policial civil e dois bandidos, os três foram levados para a Santa Casa de Poços de Caldas. O restante da quadrilha foi presa, com eles os policiais encontraram o dinheiro roubado da agência em Campestre, três fuzis, uma espingarda tipo escopeta calibre 12, uma pistola, um revólver, rádios comunicadores além de coletes a prova de balas e três bananas de dinamite.
A polícia conseguiu recuperar cerca de R$ 495 mil, dos R$ 600 mil que estavam nos caixas eletrônicos da agência, o restante, cerca de R$ 105 mil, ficou na agência, o dinheiro foi rasgado e queimado pela explosão das dinamites. Cinco integrantes da quadrilha são da mesma família.
Dos três feridos na troca de tiros, um policial civil e um bandido já receberam alta e o outro bandido segue internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da Santa Casa de Poços de Caldas em estado grave.
A polícia acredita que os integrantes da quadrilha presa em Poços de Caldas não têm ligações com a quadrilha que explodiu a agência bancária da Caixa Econômica Federal (CEF) também na madrugada de ontem na cidade de Santana do Jacaré, mas a Polícia Civil só divulgará a informação depois de interrogar os criminosos presos.