Justiça Eleitoral de Minas inicia a preparação das mais de 53 mil urnas das Eleições 2016


(Foto TRE/Divulgação)
 
As zonas eleitorais de todo o estado já começaram a preparar as urnas para a votação no 1º turno. Durante audiência pública, para a qual são convidados o Ministério Público e representantes de partidos políticos, as urnas recebem  os dados de candidatos e eleitores e são carregadas com o software de votação e a mídia onde serão gravados os resultados. Além disso, são realizados vários testes nos equipamentos e, ao final do procedimento, as urnas passam por uma auditoria e são lacradas. A partir daí, não pode ser feita nenhuma mudança nos dados.
Nas Eleições 2016, 53.208 urnas eletrônicas serão utilizadas nos 10.323 locais de votação em todo o estado. Desse total, 6.334 são urnas de reserva. Em Belo Horizonte, serão usadas 5.078 urnas – sendo 582 de reserva - em 433 locais de votação. Urnas de reserva são utilizadas para substituição, caso alguma urna tenha algum defeito de funcionamento. Nas Eleições 2012, 164 equipamentos foram substituídos, por outras urnas. Em 2014, foram substituídas 411.
Nas urnas de Minas Gerais serão inseridas as informações de 75.717 candidatos, sendo 2.378 que concorrem ao cargo de prefeito, outros 2.378 a vice-prefeito e 70.961 que disputam uma vaga de vereador. Em Belo Horizonte, são 1.419 candidatos. Desses, onze disputam o cargo de prefeito, 11 concorrem para vice-prefeito e 1.397 estão em busca de uma vaga de vereador. Nesse total, estão todos os candidatos considerados, no momento, aptos a disputar a eleição. Além dos deferidos, enquadram-se nessa situação aqueles que estão sub-judice (mais detalhes da situação dos candidatos podem ser verificados no sistema de estatística de candidaturas).
Na capital mineira, a preparação das urnas começou nesta quarta-feira (21), com a preparação das urnas da 36ª, da 332ª e da 333ª Zonas Eleitorais, e vai até o dia 26, incluindo todas as 18 Zonas Eleitorais. O presidente do TRE, desembargador Domingos Coelho, acompanhou o primeiro dia de carga e ressaltou que “após as urnas serem lacradas, ninguém pode alterar o que está nelas, e essa segurança é essencial para a licitude das eleições”. O juiz Renato César Jardim, diretor do Foro Eleitoral de Belo Horizonte, também enfatizou que “a segurança do processo é total, não há risco de violação”. Além de magistrados e servidores da Justiça Eleitoral, estiveram presentes promotores eleitorais e profissionais da imprensa.
As urnas da capital mineira ficarão armazenadas no Centro de Apoio do Tribunal e, a partir do dia 29, serão transferidas para  a guarda da Polícia Militar, de onde saem para serem distribuídas entre os locais de votação, na madrugada do dia 2 de outubro. No interior, cada zona eleitoral tem os seus procedimentos para guarda e distribuição das urnas, sempre com o apoio de instituições que garantam a segurança.
Este ano, todas as urnas eletrônicas já possuem o módulo de identificação biométrica, mas a biometria, por enquanto, está em apenas 249 municípios do Estado, sendo que em 80 deles a votação será totalmente biométrica e em 169 a votação será mista (ou híbrida), ou seja, o eleitor que não fez o recadastramento biométrico poderá votar da maneira tradicional. 

Fonte: TRE