Homem que matou esposa se apresenta, é ouvido e liberado em MG

O suspeito, de 27 anos, compareceu na delegacia acompanhado de uma advogada e confessou o crime, porém, como o prazo para o flagrante já havia acabado, não ficou preso; delegado já pediu a prisão preventiva do homem

O Tempo

Homicídio aconteceu na casa do casal, na rua Minas Gerais, no centro da cidade

Após assassinar a esposa de 23 anos a tiros na madrugada de domingo (25), em São José da Lapa, na região metropolitana de Belo Horizonte, o suspeito se apresentou nesta terça-feira (27) à Polícia Civil e confessou o crime. Entretanto, como já havia acabado o prazo para que a prisão em flagrante acontecesse, o homem acabou sendo ouvido e liberado na mesma tarde.
De acordo com a corporação, o homem de 27 anos compareceu à uma unidade policial acompanhado de uma advogada nessa tarde. Apesar de ter confessado o homicídio, a motivação do crime ainda não foi esclarecida. Como o acusado não ficou preso, a PC já solicitou a prisão preventiva e aguarda uma resposta da Justiça.
Revoltados ao saberem que o suspeito não ficaria detido, mesmo após confessar o assassinato, familiares da vítima teriam se exaltado na delegacia e quase acabaram detidos. "Logicamente ficamos indignados e alguns se exaltaram e quase foram presos, enquanto o bandido confesso, que já teve várias passagens, continua livre. Foi só mais um que ele matou", disse um dos parentes de Jéssica Miriam Lidório, que preferiu não ser identificado.
Ainda de acordo com o familiar, o suspeito teria chegado a ir até a casa da sogra querendo pegar o filhinho de 1 ano. "Tentamos alguma medida protetiva, mas não conseguimos. Não tem como deixar um policial vigiando o tempo todo a casa. Por isso, tivemos que levar a criança e a avó, com quem ficará a guarda, para longe", explicou.
Relembre
De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, uma moradora da rua Minas Gerais, no centro da cidade, contou que a briga do casal começou por volta das 02h40. Minutos depois, ela escutou um estampido e gritos.
Após dez minutos mais um tiro foi ouvido. Logo depois, o suspeito de 27 anos apareceu na casa da mulher, assumiu que tinha matado Jéssica Miriam Lidório e não foi mais visto. Militares do 36º Batalhão encontraram o imóvel todo revirado. Quatro facas estavam no chão do quarto e uma no chão da sala.
A jovem apresentava uma perfuração na cabeça e o revólver calibre 38 estava perto do seu corpo. Em uma geladeira desativada, militares encontraram uma sacola com uma pedra de crack. Uma vizinha que ouviu a confissão do bandido estava com o bebê do casal, uma criança de 1 ano, no momento do assassinato. Segundo mulher, eles resolveram sair na noite de sábado (24) e pediram para que ela tomasse conta.
De acordo com parentes, o casal estava junto há cerca de 3 anos e a violência doméstica era constante. "Foram vários os casos de agressão, mas ela nunca comunicou a polícia, na verdade defendia ele. Nós da família é que já chamamos, mas ela não levava para frente e por isso nunca deu em nada", explica. Há cerca de 4 meses o homem teria agredido a mulher em uma praça da cidade, na frente de várias pessoas.