Hoje em Dia
 
O período de estiagem, que ainda deve se prolongar pelo menos até meados de outubro, deixa diversas cidades mineiras em situação crítica. Ao todo, 142 já tiveram situação de emergência reconhecida pelo Estado por causa da seca, conforme o último boletim emitido pela Defesa Civil. Em algumas delas, o racionamento de água já foi implementado e a previsão é a de que o cenário se agrave, caso não seja viabilizada a liberação de recursos por parte da União.
É o caso de Bocaiúva, no Norte de Minas, onde os moradores já convivem com o racionamento há cinco dias. A estimativa é de que, se não chover de forma significativa na região, a água da represa que abastece a cidade dure, no máximo, mais 15 dias.
“Caso isso aconteça, vamos ter que buscar outras fontes para atender a demanda. Com esse sistema atual, buscamos água em poços artesianos de nossa rede e em alguns do tipo que ainda não estão cadastrados, além de particulares também. Teremos que buscar em mais poços artesianos particulares e dobrar o número de caminhões-pipa para atender a demanda mínima da população”, afirma o diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Bocaiúva, Juscelino Oliveira.
E o problema deve realmente se agravar, já que a previsão do tempo indica que o período de chuva mais intenso começa só daqui a um mês. “Devem ocorrer chuvas isoladas nas próximas semanas, mas é uma questão passageira. Só deve chover de forma significativa a partir de 20 de outubro. Até lá, a previsão é de calor e tempo seco na maior parte do Estado”, explica o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Luiz Ladeia.
Diante desse cenário, resta aos municípios buscar ajuda. “Já estamos em uma lista prioritária do governo federal para receber recursos na área de Defesa Civil e já vamos fazer um planejamento para pedir ajuda financeira”, ressalta Oliveira. Além de Bocaiúva, outras seis cidades mineiras tiveram o pedido de situação de emergência homologado pela União ontem: Jequitinhonha, Umburatiba, Claro dos Poções, Lassance, Medeiros e Presidente Olegário. Os municípios do Norte de Minas são os mais atingidos com a estiagem, assim como ocorreu em 2014, quando a maior crise hídrica dos últimos anos afetou o abastecimento desses locais.
Para solicitar recursos, o município deve apresentar o Plano Detalhado de Resposta (PDR) para o Ministério da Integração Nacional. Com base nesses documentos, o órgão define o valor a ser disponibilizado para a execução das ações.
A situação de emergência é declarada mediante decreto do prefeito ou do governador do Estado. Além de poder pleitear recursos da União, o reconhecimento permite acesso a outros benefícios, como a renegociação de dívidas e aquisição de cestas básicas.
Arte seca