Cantor de pagode é preso por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro

Ajamayka Negrotop foi localizado em Santa Vitória, onde se apresentaria em um show; outras duas pessoas também foram detidas

O Tempo


O cantor de pagode Ajamayka Negrotop, de 36 anos, muito conhecido na região do Triângulo Mineiro, foi preso por suspeita de participação em uma associação criminosa especializada em tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. A prisão foi realizada nesse domingo (11) na cidade de Santa Vitória, onde ele tinha um show agendado.
De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, as investigações começaram no dia 4 de agosto, quando um homem foi preso com cerca de 54,2 kg de maconha. A partir dele, outros integrantes foram localizados e mandados de prisões expedidos pela Justiça de Ituiutaba.
No sábado (10), um outro suspeito foi localizado e preso. A corporação não informou como era a divisão de atividades do grupo, qual a função de Ajamayka na quadrilha e mais detalhes da investigação. A polícia ainda procura por um quarto homem. Contas bancárias e bens dos suspeitos foram bloqueados.
Ajamayka, que já tinha antecedentes criminais por receptação, foi preso antes do show em Santa Vitória, evento que contava também a com a presença dos irmãos Vavá e Márcio, ex-vocalistas do  Karametade, grupo de sucesso no pagode durante a década de 90.