Bancários organizam greve que começa nesta terça; veja como pagar suas contas

Representantes dos banqueiros ofereceram reajuste de 6,5% mais abono de R$ 3 mil. 

O Comando Nacional dos Bancários rejeitou a proposta. A Contraf (confederação que representa trabalhadores do ramo financeiro) afirmou que a paralisação foi aprovada em assembleias de cerca de 140 sindicatos e federações pelo país.
Em 2015, na última greve nacional dos bancários, a categoria realizou uma paralisação de 21 dias. Na época, os bancários conseguiram um reajuste de 10%, com aumento real de 0,11%.
A categoria também reivindica, entre outros pontos, a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de 14,78% (5% de aumento real), melhorias na segurança, como "a permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários" e a regulamentação do atendimento remoto. 
Durante a paralisação, atendimentos serão realizados apenas em caixas eletrônicos, por meio de centrais de atendimento dos bancos e alguns serviços poderão ser realizados na internet.

Se prepare para a greve

A dica, de acordo com o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), é antecipar o pagamento dos boletos, se for possível, ou optar pelos canais alternativos como caixas eletrônicos ou internet banking.

O Idec também orienta que o consumidor busque formas alternativas para realizar os pagamentos. O primeiro passo é ligar para a agência na qual possui conta para saber se ela aderiu à greve. Se a resposta for positiva, entre em contato com o banco e descubra qual a agência mais próxima que poderá atendê-lo. O mesmo vale para quem tem dinheiro a receber diretamente na boca do caixa.

O consumidor também pode efetuar o pagamento de suas contas pelo telefone, internet ou caixas eletrônicos. É importante não deixar de solicitar algum documento que possa comprovar o pagamento. No caso da internet, o comprovante pode ser impresso. Pelo telefone, o consumidor deve anotar o número do protocolo.

É válido lembrar que contas de serviços públicos como água, luz e telefone não precisam necessariamente ser pagas nos bancos, mas também em casas lotéricas e em alguns supermercados.

Caso o pagamento por nenhuma dessas alternativas seja possível, o consumidor deve entrar e contato com o fornecedor perguntando se existem outras maneiras de quitar a conta ou até mesmo se a data de vencimento não pode ser prolongada. Se o pagamento for realizado diretamente com a empresa, ou em outro local, não se esqueça de solicitar um recibo.

Como a greve não é de responsabilidade do fornecedor nem do consumidor, não podem ser impostas penalidades, como multa e juros, no caso do atraso do pagamento. Mas, diante dessa situação, o Idec recomenda que consumidor se programe para realizar o pagamento, de preferência antes mesmo da data de vencimento da conta.