Com temperos e aromas de vários cantos do país, o Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes chega a 19ª edição, esperando atrair 40 mil pessoas entre amanhã e o dia 4 de setembro. O evento que já trouxe grandes nomes internacionais, desta vez, irá se ater à riqueza da culinária do Brasil, uma vez que servirá de palco para o encerramento da Expedição Fartura Gastronomia. 
Iniciada em 2012, a Expedição percorreu quase 70 mil quilômetros em 240 dias, passando pelos 26 estados e o Distrito Federal, com o objetivo de mapear produtos, produtores, chefs e costumes culturais de cada lugar. Todo este conhecimento será compartilhado em Tiradentes. 
O coordenador de produção do Festival de Tiradentes, Alexandre Minardi, afirma que, com o projeto, o público poderá, mais uma vez, vivenciar novas experiências por meio da culinária. “Será também um momento de celebração, como é, muitas vezes, quando nos sentamos à mesa com nossos amigos e familiares”, diz.
Cápsula dos sentidos
Participante do festival desde o início, o Senac também promoverá momentos de literais experimentações. Trata-se da “Cápsula dos Sentidos”, que promete explorar os diferentes sentidos dos participantes.

De acordo com a especialista em Pesquisas Gastronômicas do Senac Minas, Vani Pedrosa, os participantes serão convidados a descobrir, com os olhos vendados, qual alimento estão degustando. 
A “Cápsula dos Sentidos” é resultado do projeto “Primórdios da Cozinha Mineira”, que pesquisa e resgata os hábitos, técnicas e produtos alimentares dos primeiros habitantes de Minas Gerais. “Em uma das linhas de frente de ‘Primórdios’, buscamos trazer comidas e bebidas que acabaram se perdendo ao longo do tempo, como o hidromel, a farinha de batata doce, a farinha de inhame e o vinagre de frutas”, explica Vani, ao dizer que estas são algumas das especiarias que os participantes da “Cápsula” terão que identificar. 
Oportunidade
O chef executivo do Hotel Senac Grogotó, Ronie Peterson, afirma que, além da “Cápsula”, outro destaque são os já tradicionais jantares na Pousada Senac para o público aos fins de semana. “A grande proposta das palestras e cursos é desmitificar que o festival vem e vai e não deixa nada para os moradores. Na verdade, o evento deixa sua melhor contribuição ao qualificar as pessoas, além de ser uma maneira de envolver a comunidade, que, normalmente, não tem acesso ao festival”, avalia.

Já Minardi lembra que o festival tem ajudado ainda a mudar a visão dos participantes. “As pessoas estão dando mais valor à comida porque têm a oportunidade de conhecer o que está por trás do preparo dos alimentos, a cultura, a história da região ou cidade”.