'Papai Noel' é preso em BH negociando submetralhadora por R$ 3.500

Idoso, que já trabalhou em shoppings da capital, tinha fábrica clandestina em parceria com o enteado; ao todo, quatro pessoas foram detidas

O Tempo

Um idoso foi preso no fim da tarde desta terça-feira (23) negociando submetralhadoras em uma fábrica clandestina de armas no bairro Providência, na região Norte de Belo Horizonte. O homem já trabalhou como “Papai Noel” em shoppings da capital. Além dele, outras três pessoas foram detidas e 19 armas apreendidas.
De acordo com o capitão André Bastos, do Tático Móvel do 35º Batalhão de Santa Luzia, na Grande BH, o crime foi descoberto depois de uma abordagem no bairro São Benedito. “Militares encontraram um homem dentro de um carro em atitude suspeita. Durante buscas no veículo foi localizada uma pistola 9mm”, disse o policial.
Ao ser questionado, o jovem “dedurou” que o amigo tinha uma fábrica no Providência. Policiais deslocaram até o endereço indicado e acharam o enteado do Papai Noel produzindo as armas. “No local foram localizadas armas prontas, algumas desmontadas, dois quilos de cocaína e R$ 10 mil em dinheiro. No celular foram identificadas mensagens de compra e venda. Eles criaram até um grupo no WhatsApp e disseram que cada submetralhadora saía por R$ 3.500, explicou o capitão.
Ao todo foram apreendidas 14 submetralhadoras, uma espingarda e um fuzil, todas de fabricação caseira, e duas pistolas com numeração raspada.
Enteado e padastro denunciaram um outro homem que também mantinha uma fábrica, dessa vez no bairro Tupi, na mesma região. “Lá encontramos maquinário, mais metralhadoras e uma pistola 635. Ainda estamos contabilizando o número de armas. Eles fabricavam de tudo”, afirmou Bastos.
Os conduzidos serão encaminhados à Delegacia de Plantão de Santa Luzia.