Lei dos faróis e buracos nas pistas exigem atenção do motorista que vai viajar no feriado prolongado

Hoje em Dia

Desde que passou a vigorar a obrigatoriedade dos faróis acesos durante o dia nas rodovias, motoristas mineiros vão enfrentar o primeiro fim de semana prolongado com a exigência da lei federal. No último mês, a média foi de 75 multas por dia. Além de adotar a nova medida de segurança e evitar sentir no bolso a punição de R$ 85,13, quem for viajar durante o feriado da Assunção de Nossa Senhora, celebrado na segunda-feira, deve ficar atento para as condições das pistas. 
De 8 de julho, quando a norma passou a valer, até 8 de agosto, o Batalhão de Polícia Militar Rodoviária aplicou 2.276 autuações a quem não manteve a luz acesa nos veículos. Segundo o tenente Pedro Henrique Barreiros, operações serão feitas em todos os postos da corporação.
Além disso, há o reforço do Pelotão Olímpico na MG-10, no Anel Rodoviário e na BR-356. “Os motoristas já foram orientados (sobre os faróis) e já têm operações rotineiras atuando nas vias com radares e lombadas portáteis e outros objetos novos do policiamento rodoviário. Nesse feriado, haverá uma continuação do trabalho que vem sendo feito nesse período de adaptação do motorista”.
Cuidado
Levantamento feito pelo Hoje em Dia mostra que os condutores devem redobrar a atenção em pelo menos 72 pontos espalhados pelas malhas estadual e federal. Só nas estradas federais são 65 alertas para vias esburacadas, pavimentos irregulares, obras e erosões. A BR-262 – uma das mais procuradas por ligar Minas ao Espírito Santo – está com sinalização precária em alguns trechos e passa por intervenções.
A situação é menos preocupante nas rodovias estaduais. São sete trechos com alguma restrição de tráfego que vão desde a circulação em meia pista e limites máximos de peso para os veículos que passarão por pontes. Dentre eles está a MG-418 (entre Teófilo Otoni e Carlos Chagas, no Vale do Jequitinhonha e Mucuri), onde carretas, ônibus e caminhões estão proibidos de trafegar. Sinalização no local indica a rota alternativa.
Manutenção
Dimas Gazolla, professor do Departamento de Engenharia de Transportes e Geotecnia da UFMG, defende maior fiscalização para evitar as más condições de conservação das estradas, principalmente durante a execução das obras de manutenção. Segundo ele, a durabilidade dos serviços executados é pequena e novos reparos são necessários pouco tempo depois. Outra alternativa é aumentar as concessões das rodovias.
Em nota, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que está atualizando algumas informações no site do órgão sobre as condições das estradas, mas garantiu que todos os trechos com problemas estão com serviços de reparos já iniciados ou em processo licitatório. Nas estradas estaduais, as intervenções também acontecem.
Sem avanço de velocidade
Desde outubro de 2014, todos os 240 radares das rodovias estaduais estão inoperantes. Um processo licitatório foi iniciado naquele ano, mas o Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspendeu os trabalhos. Um novo certame está em curso, mas não há previsão para o retorno da operação. A proposta agora é ampliar o número de aparelhos eletrônicos de 240 para 393, além de outros 13 equipamentos do tipo estático, que podem ser transportados e deslocados para diferentes locais.
Consulta na internet
Motoristas que forem pegar estrada no feriadão podem conferir as condições das estradas nos site do Departamento de Estradas de Rodagens (DER) e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Os endereços eletrônicos são: der.mg.gov.br e dnit.gov.br. Quem acessa as informações do Estado deve verificar o link “ocorrências nas estradas”. Nele estão todas as vias com interrupções de tráfego. Já no site do Dnit é preciso acessar “condições das rodovias” e, em seguida, clicar no mapa onde estão as BRs.