Vaquinha para pagar viagens de Dilma supera R$ 500 mil em dois dias

No início da tarde deste sábado, valor arrecadado chegava a R$ 587 mil, ou 118% do valor pretendido para financiar o traslado da presidente afastada

Agência do Estado

 

A campanha de financiamento coletivo criada para financiar as viagens pelo país da presidente da República afastada, Dilma Rousseff, bateu a meta inicialmente proposta em pouco mais de dois dias. A plataforma digital foi lançada na última quarta-feira. Na noite desta sexta-feira, a "vaquinha virtual" atingiu os R$ 500 mil pretendidos. No início da tarde deste sábado, o valor arrecadado chegava a R$ 587 mil, que representam 118% do pretendido.
As criadoras da plataforma no site Catarse são duas antigas amigas da presidente afastada. Guiomar Lopes e Celeste Martins lutaram na ditadura militar ao lado de Dilma. No vídeo de apresentação da iniciativa, elas afirmam que a ferramenta é uma forma de viabilizar a continuidade da luta pela democracia. "Achamos importante abrir uma conta onde as pessoas pudessem fazer doações e haver disponibilidade de recursos que a presidenta pudesse usar para as suas viagens," disse Guiomar.

No início de junho, o governo do presidente em exercício, Michel Temer, restringiu o direito de a presidente afastada usar os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para se deslocar pelo Brasil. Desde então, Dilma só pode recorrer às aeronaves oficiais para viajar entre Brasília e Porto Alegre, onde mora sua família. 

A petista tinha planejado rodar o Brasil como parte da estratégia para defender seu mandato durante a tramitação do processo de impeachment no Senado. A decisão de fazer um crowdfunding, ou "vaquinha virtual", foi tomada em reunião de Dilma com a executiva do PT e com aliados no Palácio do Alvorada Ela chegou a comparecer a eventos em Porto Alegre, Belo Horizonte e Campinas. Ao nordeste, ela foi em um jatinho fretado pelo PT.Até as 11 horas deste sábado, 8.696 pessoas haviam doado um total de R$ 581,5 mil na plataforma. Como não tinha prazo para acabar, a campanha está seguindo mesmo depois de alcançar a meta de R$ 500 mil. No entanto, o dinheiro só poderá ser sacado depois que as duas organizadoras encerrarem o período de captação.


Aqueles que apoiarem receberão uma citação no site de Dilma, uma foto oficial autografada em versão digital e um vídeo de agradecimento. São aceitas somente doações de pessoas físicas. De acordo com as informações que constam na página da campanha, a maior parte dos apoiadores doaram valores entre R$ 10 - que é o mínimo permitido - e R$ 500. Até as 11 horas de sábado, 87 pessoas tinham contribuído com mais de R$ 500 na página, 37 com mais de R$ 1.000 e uma com mais de R$ 1.500.

A presidente afastada está em Porto Alegre, onde passa o fim de semana descansando ao lado da filha, Paula Araújo, e dos netos, Gabriel e Guilherme. Na manhã deste sábado, ela andou de bicicleta pela zona sul, como costuma fazer quando está na cidade. Dilma também deverá usar o tempo na capital gaúcha para definir sua agenda dos próximos dias. Segundo interlocutores da presidente afastada, é provável que ela retome as viagens em defesa do seu mandato já na semana que vem. Só faltaria decidir o destino.