Sobe para 13 o número de suspeitos de participarem de estupro coletivo em Juiz de Fora/MG

Investigações da Polícia Civil identificaram cinco novos envolvidos no estupro da adolescente de 13 anos; até semana passada eram dez envolvidos, mas apenas oito identificados



O Tempo
Policiais chegaram a ir em três imóveis que teriam relação com o crime em Juiz de Fora

A Polícia Civil já identificou 13 pessoas suspeitas de envolvimento no estupro coletivo de uma adolescente de 13 anos, ocorrido no fim do mês de junho em Juiz de Fora, na Zona da Mata. Até a semana passada a corporação sabia de dez participantes do abuso, mas apenas oito deles tinham sido identificados. 
As informações foram divulgadas pela titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da cidade, delegada Ângela Fellet. De acordo com a policial, até o momento já foram ouvidos dez adolescentes com idades entre 14 e 17 anos, sendo que somente um deles, de 17, não estaria envolvido no estupro conforme o que foi levantado até o momento. 
Falta ainda colher o depoimento de quatro adultos que teriam participado do crime, sendo eles de 18, 24, 26 e 27 anos. Eles serão intimados a depôr, entretanto, ainda não há qualquer data definida para que isso aconteça. 
Ainda de acordo com Ângela Fellet, as diligências a fim de solucionar o caso continuam. A corporação não divulgou se a delegada pretende representar pela prisão e apreensão dos autores do crime. 
Relembre
Na noite do crime, a adolescente de 13 anos havia ido a uma festa junina com a família. Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar, ela deixou o local um tempo depois com o namorado e um casal de amigos. Eles foram até uma casa abandonada que, segundo Ângela Fellet, da Delegacia de Mulheres, é um ponto muito usado para o uso de drogas e encontros de casais.
Em depoimento à Polícia Civil, na segunda-feira, a menina contou que os suspeitos invadiram o imóvel, três deles armados, e renderam o grupo. A amiga e os dois homens foram liberados em seguida – a garota, também menor, seria parente de um membro da gangue.