Prefeitura arranca árvores em cidade mineira e moradora denuncia ao MP

Cerca de 20 árvores foram retiradas em São Roque de Minas.
Prefeitura disse que árvores estavam secas e outras serão replantadas.

Prefeitura arranca árvores para asfaltar avenida em São Roque de Minas (Foto: Daniela Labonia/Arquivo Pessoal)

A Prefeitura de São Roque de Minas, no Centro-Oeste do estado, arrancou nesta semana cerca de 20 árvores que ficavam na Avenida Tancredo Neves para asfaltar a via, como pontuou o próprio Executivo. Uma moradora denunciou o ato ao Ministério Púbico (MP). A Prefeitura da cidade que sedia o Parque Nacional da Serra da Canastra justificou o corte dizendo que as árvores estavam secas e velhas.
Entretanto a moradora Daniela Labonia, que fez a denúncia, discorda da justificaria dada pelo Executivo.
"As árvores não estavam secas, estavam muito verdes por sinal. Nelas haviam ninhos de pássaros e inclusive tucanos. Tenho acompanhado essa história desde o começo e diversas vezes registrei as árvores em perfeito estado. Essa atitude é definitivamente uma vergonha para uma cidade que sedia o Parque Nacional da Serra da Canastra”, pontuou.
Calçamento da avenida
Ainda segundo moradores, a possibilidade de cortar as árvores surgiu no ano passado em uma reunião na Câmara dos Vereadores, onde foi cogitada a hipótese de asfaltar a rua que já era pavimentada. Na ocasião o G1 entrou em contato com o prefeito da cidade, Roldão de Faria Machado, e ele confirmou que se fosse preciso as árvores seriam realmente retiradas, mas que haveria replantio em outro ponto da cidade. Desta vez, a Prefeitura voltou a alegar que replantará as árvores arrancadas.

São Roque de MInas, árvores (Foto: G1/G1) 
Avenida teve árvores arrancadas para receber
asfalto (Foto: G1)
 
Ainda de acordo com a Prefeitura, o calçamento da Avenida Presidente Tancredo Neves será estendido para a comunidade de São João Batista da Serra da Canastra. Um distrito que precisa ser calçado, com uma população estimada em aproximadamente 500 moradores, como destaca a Prefeitura.
Em 2015 o prefeito declarou que algumas árvores seriam arrancadas e outras iriam permanecer no local. "Algumas irão permanecer, o asfalto irá ser feito ao lado dessas árvores. Mas as que impedirem o percurso da pavimentação, terão que ser retiradas. Quero ressaltar que elas serão replantadas", disse Roldão em 2015.
Vizinhança reprova situação
Vários moradores se dizem revoltados com a situação. "O nosso calçamento é bem feito, apesar de antigo. Há mais coisas a se fazer na cidade do que asfalto. Acho que deveriam pensar em revitalizar ruas com calçamento mal feito. No que está bom não se mexe. Moro na avenida há mais de 50 anos e sempre foi com calçamento atual. As árvores são antigas e é mais um agravante para que não sejam arrancadas. É um desgosto muito grande para todos", disse a aposentada de 81 anos, Edna Batista de Faria.

É absurdo. Completamente antiecológico"
Carmem Geralda da Silva, aposentada que mora na avenida há 60 anos
Carmem Geralda da Silva, de 60 anos, também é moradora da avenida e compartilha da opinião de Edna. Para ela, o calçamento está em perfeito estado de conservação e não precisa ser asfaltado.
"A chuva vem e cai no subsolo, é um calçamento de 30 anos. Apenas o canteiro precisa de reparo, isso é um absurdo. É uma cidade que faz parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. Arrancar árvores em uma cidade onde há a nascente do Rio São Francisco é no mínimo estranho. Asfaltar as ruas é completamente antiecológico. Ao invés de preservar, vai totalmente na contramão", destacou a moradora.
O ambientalista Vicente Faria conta que do ponto de vista ambiental sempre é prejudicial. Já que as árvores colaboram para amenizar a temperatura do ambiente e servem de abrigo para fauna. "É sempre prejudicial e por isso sou totalmente contra. Algumas espécies dependem inclusive dos alimentos oferecidos por essas árvores", reforçou.

Fonte: G1