Polícia Civil em Pará de Minas ouve Macarrão em investigação do assassinato do advogado em Pará de Minas

A Polícia Civil de Pará de Minas ouviu na sexta-feira (15), o detento Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, um dos envolvidos na morte da modelo Eliza Samudio, em 2010. Atualmente o ex-braço direito do goleiro Bruno Fernandes, está cumprindo pena na penitenciária Doutor Pio Canedo.

Após chegar em Pará de Minas, Macarrão contratou os serviços do advogado criminalista Arthur Wallace Barbosa Vieira, de 45 anos, assassinado no dia 30 de junho, no bairro Recanto da Lagoa, em Pará de Minas.
Com a morte do advogado, a Polícia Civil passou a investigar o caso. As diligências estão sendo feitas em segredo e todas as pessoas que estiveram com a vítima nos últimos dias, estão sendo ouvidas para elucidar o crime. O delegado Francis Diniz Guerra, foi quem ouviu Macarrão na manhã de ontem, mas evitou falar sobre o assunto.
Doutor Carlos Henrique Gomes Bueno, delegado regional da Polícia Civil de Pará de Minas confirmou os motivos que levaram a Polícia Civil a colher o depoimento de Macarrão. O depoimento de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, durou cerca de uma hora. Outros depoimentos ainda serão colhidos pela Polícia Civil.
O advogado Arthur Wallace Barbosa foi assassinado a tiros no dia 30 de junho. Os criminosos fugiram e não foram localizados. A Polícia Civil segue nas investigações sobre o crime. De acordo com a assessoria da PC, Arthur Wallace havia recebido um áudio no WhatsApp de um suposto cliente dizendo que estava indo a Pará de Minas para pagar por um serviço prestado pelo defensor.
O local de encontro seria próximo a rua José Correia de Amorim, próximo ao Parque do Bosque. A última visualização do advogado no aplicativo WhatsApp foi registrada às 15h43. A Polícia não descarta a possibilidade da morte de Arthur ter sido encomendada.

Fonte:JC Notícias