'Ninguém sequer me deu o benefício da dúvida', diz Felipe Heiderich sobre acusações de pedofilia

Hoje em Dia

Pastor se pronuncia pela primeira vez após ser acusado de pedofilia pela esposa, a missionária Bianca Toledo

O pastor Felipe Heiderich, acusado de ter abusado sexualmente do filho de cinco anos de sua esposa, a também pastora Bianca Toledo, se defendeu das acusações em vídeo publicado nesta quarta-feira (13). Na declaração, Heiderich afirma ser inocente e que está sofrendo com uma “grande dor no coração”.
“Assim como vocês eu fiquei em choque com tudo que foi tido e com todas as acusações”, disse o pastor. Heiderich explicou também que foi levado contra a sua vontade à uma clínica psiquiátrica após ingerir doses de rivotril. O missionário conta que não tentava suicídio, como foi relatado, mas sim adormecer após a repercussão do caso. “Fui acusado, julgado, maltratado, linchado e ninguém sequer me deu o benefício da dúvida”, desabafou Heiderich.

Assista o vídeo abaixo:

Relembre o caso:

A vida do casal de pastores foi descortinada no último dia 06 de julho quando Bianca Toledo acusou o marido de ser pedófilo e homossexual em vídeo divulgado nas redes sociais. A missionária relata que prestou denúncia na Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima no dia 22 de junho e que Felipe Heiderich recebeu mandato de prisão.

O pastor ficou encarcerado preventivamente e isolado no presídio Bangu 10 até o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciá-lo à Justiça por estupro de vulnerável. De acordo com a denúncia, Heiderich 'praticou diversos atos libidinosos com uma criança de 5 anos' no dia 11 de junho deste ano.
Além da suspensão da prisão temporária, o Ministério Público recolheu o passaporte de Heiderich e o proibiu de entrar em contato com Bianca Toledo e seu filho.
A defesa de Felipe Heiderich utilizou a página oficial do pastor para afirmar que as acusações de Bianca Toledo “são inteiramente falsas e que a polícia saberá investigar para ao final esclarecer a verdade”.