O ministro da Saúde, Ricardo Barros, garantiu que o país está pronto para receber os visitantes que virão à Olimpíada do Rio de Janeiro, que começa na sexta-feira (5) da semana que vem. 
“O Brasil está preparado. Toda a infraestrutura está pronta. Os antídotos para qualquer tipo de acidente, nós temos entregues já no Rio de Janeiro. Os leitos de referência, de reserva, estão todos habilitados. As obrigações que assumimos quando disputados a sediação das Olimpíadas do Rio de Janeiro estão todas cumpridas por parte do governo Federal”, enfatizou.
A afirmação foi feita na manhã desta quarta-feira (27), em visita ao Hospital da Baleia, em Belo Horioznte. O minitro veio a Minas Gerais para uma visita a cinco hospitais, além de reuniões com o governador Fernando Pimentel e prefeitos e gestores da Região Metropolitana.
Além do hospital da Baleia, Barros também esteve no Hospital do Barreiro, pela manhã. À trade, seguiria para o Hospital e Maternidade Regional de Ibirité, e depois para os hospitais Regional Divino do Espírito Santo e São João de Deus, ambos em Divinópolis, onde a visita seria encerrada.
O ministro elogiou o Hospital da Baleia, e afirmou que gostaria que a instituição servisse de exemplo para outras instituições de saúde.
Em entrevista coletiva, Barros afirmou que não há colapso na saúde no Brasil, mas reconheceu que o orçamento é curto. “Há, sim, uma necessidade de mais recursos. Acontece que as pessoas têm um limite para o pagamento de imposto. A sociedade têm uma capacidade contributiva limitada. Portanto, o orçamento é limitado, e a capacidade de orçametno é limitada”, explicou.
O ministro disse também que assim que puder ter espaço orçamentário, e autorização da equipe econômica do goevrno federal, Minas Gerais poderá receber recursos para mais serviços de saúde que estão na fila do cresdenciamento no Ministério.
Hospital do Barreiro
No último dia 6 de julho o governo federal anunciou que contribuirá com R$ 15 milhões mensais para a manutenção de parte do Hospital do Barreiro. Ontem, o ministro afirmou que avalia a possibilidade de mais recursos, e busca formas de contribuir na complementação do custeio.
"Vamos funcionar 80 leitos e buscar mais recursos para que possamos ter a totalidade desse hospital operando. Não estamos em um momento fácil, com dificuldade de orçamento. Mas vamos buscar isso o mais rápido possível", afirmou o ministro.
Segundo Barros, em dois meses o valor já estará disponível. "Viemos conhecer essa boa iniciativa, parabenizar a parceria. E estou sensibilizado para conversar com a área econômica do governo", garantiu.
Já o prefeito Marcio Lacerda (PSB) afirmou que espera ter o hospital funcionando em plenitude até o fim do próximo ano.