"Me senti violentada", diz mulher assediada por instalador da NET

Caso aconteceu com fotógrafa santista, em São Paulo

Juliana diz ter se sentido violentada com as
"mensagens agressivas" (Foto: Arquivo pessoal)

A fotógrafa santista Juliana Barros, de 35 anos, ainda não consegue acreditar nas mensagens que recebeu, via WhatsApp, de um instalador da empresa de TV por assinatura NET. O homem, que deveria apenas passar informações sobre um serviço solicitado, passou a assediá-la. Primeiro a chamou de gata e disse que estava apaixonado por ela. Mas não demorou para oferecer sexo, perguntar se a fotógrafa queria tomar tapas e até se gostaria de ser chamada de vaca.
“As mensagens estavam ficando muito agressivas, eu me senti violentada. Isso é coisa de maníaco, como assim me apaixonei por você?”, diz ela, que já registrou boletim de ocorrência e espera providências da Polícia Civil. “Como ficar segura sabendo que tem cara da NET por aí desse jeito, e que ainda entra na casa da gente?”.
A história começou quando Juliana mudou de apartamento, em São Paulo, e solicitou a reinstalação do serviço de TV a cabo na nova residência. O funcionário da NET foi ao local, mas disse que faltava um cabeamento de áudio e vídeo para adaptar a conexão. Pediu que ela tentasse encontrar o tal adaptador e entrasse em contato diretamente com ele via celular.
“Aí mandei mensagem que não encontrei e ele respondeu 'vou te ajudar, gata'. Eu achei estranho, mas deixei passar. Uma semana depois ele apareceu no meu prédio às 20 horas. Eu nem deixei subir. Desci, peguei o cabo e falei que eu mesmo instalaria”, conta a fotógrafa.

A partir daí as mensagens foram seguidas. “Ele mandou outra, já passava das 23 horas, falando que queria me chupar. Aí comecei a ficar com medo. Pensei, caramba, esse cara ficou dentro da minha casa 30 minutos e eu sozinha com ele. Numa mudança é normal receber em casa vários prestadores de serviços, homens, mas via aí um alerta para quem mora sozinha”.
A empresa
A NET informa que tomará todas as medidas cabíveis para “apurar, identificar e afastar sumariamente qualquer funcionário ou prestador de serviço que aja em desacordo com o código de ética da empresa”. A NET diz ainda que disponibiliza canal exclusivo para comunicação de eventos que envolvam atitude inadequada por parte de seus colaboradores, através do e-mail: conduta.net@net.com.br. “Todos os casos reportados são rigorosamente apurados”.

Fonte: A Tribuna