"Luto no cinema" Morre, aos 70 anos, o diretor Hector Babenco

Babenco sofreu uma parada cardíaca em sua casa, por volta das 23h

Folhapress

Argentino radicado no Brasil, Babenco foi um dos mais importantes cineastas do país

Morreu na noite desta quarta (13), aos 70 anos, o cineasta Hector Babenco. Ele sofreu uma parada cardíaca em sua casa, por volta das 23h. A informação foi confirmada por sua ex-mulher, Raquel Arnaud.
Argentino radicado no Brasil, Babenco foi um dos mais importantes cineastas do país. Realizou "O Beijo da Mulher-Aranha" (1985), filme que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor diretor e o prêmio de melhor ator a William Hurt. Um de seus longas mais conhecidos é "Pixote: A Lei do mais Fraco" (1981), sobre um garoto pobre paulistano que se afeiçoa a uma prostituta vivida por Marília Pêra.
"Carandiru" (2003), sobre o cotidiano e o massacre no famoso presídio paulistano, foi um de seus últimos sucessos.
Nos anos 1990, o diretor foi vítima de um câncer no sistema linfático que o levou a sessões de quimioterapia. O fato inspirou seu último filme, o semiautobiográfico "Meu Amigo Hindu", lançado no ano passado. O longa retrata um cineasta (Willem Dafoe) às voltas com um tumor agressivo.
Ainda não há informações sobre o velório ou o enterro.

Filmografia de Hector Babenco:
  • Meu Amigo Hindu (2015)
  • Words with Gods (segment "The Man That Stole a Duck") (2014)
  • O Passado (2007)
  • Carandiru, Outras Histórias (série de TV) (2005)
  • Carandiru (2003)
  • Coração Iluminado (1998)
  • Brincando nos Campos do Senhor (1991)
  • Ironweed (1987)
  • O Beijo da Mulher Aranha (1985)
  • A Terra é Redonda Como uma Laranja (1984)
  • Pixote: A Lei do Mais Fraco (1981)
  • Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia (1977)
  • O Rei da Noite (1975)
  • O Fabuloso Fittipaldi (Documentário) (1973)