Liquidações trazem ânimo aos lojistas e aos consumidores

Quem antecipou as promoções bateu a meta de vendas

O Tempo

Movimento. Em liquidação, loja do BH Shopping comemora aumento de 20% no número de clientes

As vitrines de grande parte das lojas de Belo Horizonte já estão tentadoras, anunciando liquidações de inverno em plena estação, e no meio de uma das maiores crises econômicas que o país já viveu. E está dando certo. Estabelecimentos que já estão liquidando comemoram o refresco de queda nas vendas. Balanço do mês de abril da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH) aponta que as vendas caíram 2,93% frente ao mesmo mês de 2015. Os dados de maio ainda não saíram.
Em liquidação desde o dia 16 de junho, a Arezzo do BH Shopping adotou uma estratégia “mais agressiva” de descontos por causa da concorrência, segundo a gerente Cássia Nunes, e comemora um aumento de cerca de 20% na clientela em comparação ao mês anterior. “Os descontos já começam em 50%, e estamos tendo um mês incrível. Bati a meta”, concluiu, em entrevista no último dia de junho.
Para ela, quem demora a entrar em liquidação “está perdendo vendas”. No caso da rede de calçados femininos, a nova coleção já foi lançada e também já está nas lojas.
Na K9, rede de roupa feminina com dez lojas na capital, os descontos são de até 50% e, a partir de três peças, o consumidor tem mais 10% no total da compra. A diretora Adriana Borges confirma que já houve aumento de 30% nas vendas em relação a 2015. Ela credita isso não somente aos descontos, mas à estratégia de apostar em produtos de inverno, como jaquetas, coletes de pele e outros. “O frio atípico tem colaborado”, disse. A diretora da K9 conta que toda semana o estoque está sendo renovado. A liquidação deve durar até meados de julho.
Quem também comemora são os vendedores da Luiza Barcelos. “Foi a melhor coisa essa antecipação de liquidação. Salvou o mês, e batemos a nossa cota”, contou a gerente da loja do BH Shopping, Ana Gonçalves.
Todos os calçados de inverno estão com descontos de 20% a 50%. A liquidação começou no dia 14 de junho e provocou crescimento de cerca de 20% no movimento.
Consumidor receoso. Mesmo com tanta liquidação, o consumidor continua medindo os gastos. Uma pesquisa divulgada nesta semana pela Fecomércio Minas aponta, por exemplo, que apenas 51,3% dos belo-horizontinos estão com as contas em dia. Em junho de 2015, esse percentual chegava a 96,7%. “Hoje a prioridade é pagar as contas. Estou mais cautelosa. Comprar em alguma liquidação, só se for à vista, e um produto necessário”, disse a administradora de empresas Thaís Lages. Há também quem queira mais, como a funcionária pública Fernanda Xavier. “Vou esperar baixar mais. As liquidações no fim da estação chegam a ter descontos de até 70%”.

Descontos fictícios não têm mais vez

Para o vice-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH) Marco Antônio Gaspar, a antecipação de liquidações é principalmente para girar o estoque das lojas. “Qualquer loja hoje precisa ter, pelo menos, algum produto em promoção para fisgar o consumidor”, revela Gaspar.
Ele acredita que hoje o comprador está mais consciente e não aceita descontos fictícios. “Isso porque, antes de se decidir pela compra, ele já olhou o produto e sabe exatamente quanto custa”, diz. O primeiro fator na decisão pela compra hoje é o preço, segundo pesquisa da CDL. (CD)