Idoso de 83 anos morre em queda de avião em Pará de Minas

Acidente aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (6); piloto experiente, o engenheiro Maurício José Impelizieri Pinto de Moura, 83, estava em uma aeronave experimental construída por ele

O Tempo

Todos os dias o engenheiro aposentado Maurício José Impelizieri Pinto de Moura, 83, ia até o aeroporto de Pará de Minas, na região Centro-Oeste do Estado, para fazer o que mais amava: voar por horas na aeronave que ele mesmo construiu. O piloto experiente, com mais de 50 anos de brevê (diploma de piloto), decolou na manhã desta quarta-feira (6) mas não voltará a pousar no local, uma vez que um acidente durante seu maior hobby o vitimou no início desta tarde. 
As informações iniciais do Corpo de Bombeiros da cidade dão conta que a aeronave Esquola Experimental de prefixo PP-XMM caiu em uma área da fazenda Maniçoba, na zona rural do município, por volta de 12h. Conforme a corporação, somente o idoso estaria na aeronave no momento do acidente. 
Os militares estão no local aguardando a chegada da perícia da Polícia Civil para, após os levantamentos dos técnicos, fazerem a retirada do corpo do engenheiro. Somente o relatório da corporação poderá responder as causas do acidente. 
Uma funcionária do Aeroclube de Pará de Minas, que não quis ser identificada, conta que todos do local conheciam Moura, pelo menos de vista. "Ele tinha um avião particular e guardava no hangar. Ele tinha mais de 50 anos de carteira, voava bastante, e todo dia. Era aposentado e este era o principal hobby dele. Ainda não temos nem ideia do que aconteceu, mas era um avião que ele mesmo construiu", contou.

Em consulta no sitTodos os dias o engenheiro aposentado Maurício José Impelizieri Pinto de Moura, 83, ia até o aeroporto de Pará de Minas, na região Centro-Oeste do Estado, para fazer o que mais amava: voar por horas na aeronave que ele mesmo construiu. O piloto experiente, com mais de 50 anos de brevê (diploma de piloto), decolou na manhã desta quarta-feira (6) mas não voltará a pousar no local, uma vez que um acidente durante seu maior hobby o vitimou no início desta tarde. 
As informações iniciais do Corpo de Bombeiros da cidade dão conta que a aeronave Esquola Experimental de prefixo PP-XMM caiu em uma área da fazenda Maniçoba, na zona rural do município, por volta de 12h. Conforme a corporação, somente o idoso estaria na aeronave no momento do acidente.
Os militares estão no local aguardando a chegada da perícia da Polícia Civil para, após os levantamentos dos técnicos, fazerem a retirada do corpo do engenheiro. Somente o relatório da corporação poderá responder as causas do acidente.
Uma funcionária do Aeroclube de Pará de Minas, que não quis ser identificada, conta que todos do local conheciam Moura, pelo menos de vista. "Ele tinha um avião particular e guardava no hangar. Ele tinha mais de 50 anos de carteira, voava bastante, e todo dia. Era aposentado e este era o principal hobby dele. Ainda não temos nem ideia do que aconteceu, mas era um avião que ele mesmo construiu", contou.
Em consulta no site da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a aeronave é um monomotor convencional com peso máximo para decolagem de 980 kg. Ainda segundo os dados da agência, o avião do aposentado estava com a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia e com Situação de Aeronavegabilidade normal.
O piloto
Basta uma rápida pesquisa pelo nome de Maurício José Impelizieri Pinto de Moura na internet para se descobrir o quanto a aviação era sua paixão. Todo o processo de construção da aeronave em que se acidentou pode ser achado em um site voltado apenas para a aviação experimental.

Casado, o aposentado vivia com a família na cidade há anos. Formado em Engenharia Aeronáutica na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Moura se aposentou pela Copasa e era engenheiro arquiteto especialista em cálculo estrutural para projetos de estruturas em madeira, concreto e metálicas.e da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a aeronave é um monomotor convencional com peso máximo para decolagem de 980 kg. Ainda segundo os dados da agência, o avião do aposentado estava com a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia e com Situação de Aeronavegabilidade normal.
O piloto
Basta uma rápida pesquisa pelo nome de Maurício José Impelizieri Pinto de Moura na internet para se descobrir o quanto a aviação era sua paixão. Todo o processo de construção da aeronave em que se acidentou pode ser achado em um site voltado apenas para a aviação experimental.


Casado, o aposentado vivia com a família na cidade há anos. Formado em Engenharia Aeronáutica na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Moura se aposentou pela Copasa e era engenheiro arquiteto especialista em cálculo estrutural para projetos de estruturas em madeira, concreto e metálicas.