Forças de segurança realizam operações simultâneas contra ataques terroristas

Simulados realizados em Belo Horizonte compõem as ações do Governo de Minas Gerais para os Jogos Olímpicos Rio 2016

Agência Minas 

Treinamento simulou todos os procedimentos que devem ser adotados em caso de um chamado de ataque terrorista

Integrantes das forças de segurança realizaram, nesta quarta-feira (27/7), dois treinamentos práticos simultâneos contra ataques terroristas em regiões distintas da Região Metropolitana. Militares do Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate), da Polícia Militar, policiais federais, além de técnicos do Samu e das secretarias estadual e municipal de Saúde foram acionados para um simulado de resgate de reféns e salvamento de vítimas de quatro terroristas que invadiram o edifício desocupado da Contax, no bairro Prado, em Belo Horizonte.
Tudo não passou de um treinamento. Mas o acionamento do 190, o tempo de chegada das equipes e a invasão do local por parte dos militares foi real, simulando efetivamente todos os procedimentos que devem ser adotados em caso de um chamado de ataque terrorista.
O foco desta ação prática foi a evacuação aeromédica das vítimas com dois helicópteros. Cerca de 60 figurantes participaram da operação e, simulando estarem feridos, foram levados aos hospitais da região por meio aéreo. Os demais reféns receberam os primeiros atendimentos depois de o prédio ser evacuado.
Na região de Nova Lima, militares do Exército Brasileiro foram acionados para intervir em uma casa noturna, onde supostamente seis terroristas encapuzados teriam rendido os seguranças e entrado na casa de shows. O acionamento do 190 por parte do gerente da casa também foi real. Em oito minutos militares do Exército chegaram para fazer a varredura do local e isolar a área. O trânsito na região foi interditado pela BHTrans, com o apoio de agentes da Guarda Municipal.
Cerca de 200 militares ocuparam a área. Uma equipe tática invadiu o local para fazer o resgate das vítimas e a retirada dos reféns. Do lado de fora era possível ouvir os tiros e as explosões de bombas. Militares do Esquadrão Antibombas do Gate entraram em cena para realizar a varredura do veículo abandonado pelos terroristas em frente à casa de shows. Esta atividade tinha como foco neutralizar qualquer artefato explosivo que porventura pudesse estar abandonado no interior do veículo.
Segundo o Tenente Francis Cotta, do Esquadrão Antibombas do Gate, os treinamentos vêm sendo realizados desde 2008 e nestes últimos meses foi potencializado em termos de interagências. “Estamos com equipamentos, formação, capacitação e protocolos operacionais em plenas condições. O que nós deveríamos fazer, nós fizemos. E estamos em condições”, disse o tenente.
Para o Tenente Coronel do Exército, Júlio César Rolszt, os seis treinamentos práticos realizados de forma integrada em Belo Horizonte buscaram as situações mais difíceis para que todos pudessem treinar uma situação real em todos os aspectos. “Os simulados foram realizados em locais de grande fluxo de pessoas, onde foi possível exercitar de forma integrada o resgate de reféns, evacuação de áreas, simulação de ataques químicos, biológicos, radiológicos e nucleares e neutralização de artefatos explosivos”, lembrou Júlio César.
O simulado desta quarta-feira compõe as ações da Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Rio 2016 no Estado de Minas Gerais (Coesge-MG) e do Núcleo de Articulação Minas 2016, instituído em abril de 2015 com a finalidade de promover as ações necessárias para o estado sediar os eventos relacionados aos Jogos Rio 2016.
Números
Para a Olimpíada Rio 2016 são esperados no Brasil 15 mil atletas de 206 países. São 32 mil profissionais de imprensa credenciados e uma estimativa de 4,5 bilhões de expectadores no mundo inteiro. Em Belo Horizonte, de acordo com estimativas da Abin, são esperados de 15 a 20 mil turistas durante os jogos. A cidade receberá entre 400 e 500 atletas e 1.500 jornalistas. BH receberá dez partidas de futebol masculino e feminino.
Núcleo de Articulação Minas 2016
Atrair delegações para treino e aclimação em solo mineiro, sediar o Torneio Olímpico de Futebol e o Tour da Tocha. Estas são as três grandes frentes de trabalho do Núcleo de Articulação Minas 2016, grupo intersetorial criado, em 15 de abril de 2015, pelo governador Fernando Pimentel, com o objetivo de realizar as ações necessárias para sediar os eventos associados à Olimpíada.
Coordenado pelo secretário de Estado de Esportes, Carlos Henrique, o Núcleo congrega ao todo 16 secretarias e órgãos do Governo de Minas Gerais. O objetivo do grupo é assegurar a bem sucedida realização dos eventos, aproximando territórios, desenvolvendo social, esportiva e culturalmente o Estado de Minas Gerais.
Mais informações estão disponíveis em minas2016.mg.gov.br e www.esportes.mg.gov.br.