Estudante de direito é preso ao furtar aparelho de som em hipermercado em BH

Eletroeletrônico vale R$ 899; jovem já rondava o comércio; suspeito apresentou carteirinha da OAB e afirmou ser advogado para tentar não ser detido

O Tempo

Suspeito já rondava comércio  

Um estudante de direito, 25, foi preso ao furtar um aparelho de som em um hipermercado no bairro Santa Efigênia, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, nessa segunda-feira (18). O jovem chegou a alegar que era advogado e que tinha prerrogativa para não ser detido.
Um funcionário do Extra Hipermercados teria notado o comportamento do suspeito e pediu que fosse checado se ele tinha cometido algum delito, pelo sistema de segurança por câmeras do local. Ao verificar, segundo o gerente de segurança do comércio, foi flagrado que o jovem teria deixado o estabelecimento com um aparelho de som, sem pagar.
O suspeito foi abordado no estacionamento do hipermercado e ele começou a alegar ser advogado e que era um engano dos funcionários. Ainda disse que tinha dinheiro em espécie para pagar pelo produto - que vale R$ 899 -, mas em nenhum momento, apresentou nota fiscal da mercadoria.
O jovem ainda apresentou uma carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), mas quando os policiais militares checavam o prontuário dele, saiu correndo do local, sendo alcançado. Como resistiu à prisão, ele foi algemado e encaminhado para uma delegacia, onde confessou que ainda faltava passar em duas matérias para se formar pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).
Além disso, ao analisar as imagens das câmeras nos dias anteriores ao crime, foi percebido que o rapaz esteve no local outras vezes, o que indica que ele já planejava o furto.