Duplicação da BR-262 entre Uberaba e Nova Serrana deve ser iniciada neste ano

De acordo com o presidente do órgão, a concessionária responsável pelo trecho da BR-262 de Uberaba a Nova Serrana já deu início à contratação de empréstimo de longo prazo para viabilizar as obras de duplicação.

A duplicação da BR-262, entre Uberaba e Nova Serrana, deve começar até o fim do ano. A informação é do presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT ), Jorge Bastos, que esteve em Uberaba esta semana. A informação foi divulgada no site Jornal da Manhã.

A ANTT acompanha e fiscaliza os contratos de concessão das rodovias federais. De acordo com o presidente do órgão, a concessionária responsável pelo trecho da BR-262 de Uberaba a Nova Serrana já deu início à contratação de empréstimo de longo prazo para viabilizar as obras de duplicação.

Além disso, Bastos informa que a empresa está com processo de licenciamento ambiental em andamento. Conforme o sistema de acompanhamento de processos do Ibama, no dia 29 de abril foi emitida a licença de instalação para a duplicação do trecho. A última etapa para a liberação da obra é a licença de operação.

O presidente da ANTT estima que tanto a fase de licença ambiental quanto a liberação dos recursos para as obras na BR-262 devem ser finalizados em até três meses. Com isto, a duplicação pode ter início ainda no segundo semestre. “Eu acredito que até o fim do ano a gente tenha essa obra começando”, disse.

O início dos trabalhos de duplicação de Uberaba a Nova Serrana inicialmente estava previsto para maio do ano passado, prazo que se tornou inviável de ser cumprido em função de atraso no processo de licenciamento. No fim de 2015, a Concebra – empresa responsável pela concessão – posicionou que cronograma seria adiado para o primeiro trimestre de 2016, o que também não se consolidou.

O pacote sob concessão das BRs 060/153/262 (DF/GO/MG) engloba 1.176 quilômetros de rodovias. Desse total, 600 quilômetros estavam duplicados antes da entrada da Concebra na concessão. A concessionária tinha aproximadamente 210 quilômetros de rodovia para duplicar nos primeiros cinco anos de contrato.

Fonte: JM Online