Dona do Magazine Luiza cai ao carregar a tocha no interior de SP; veja vídeo

Empresária Luiza Helena Trajano conduzia o fogo olímpico correndo quando se desequilibrou e caiu. Passagem da tocha olímpica pelo país coleciona polêmicas 

Estado de Minas

A passagem da Tocha Olímpica pelos estados brasileiros continua rendendo pano pra manga. Na noite dessa terça-feira, a presidente do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, caiu ao carregar a tocha olímpica em Franca, no interior de São Paulo. Muitos internautas já apelidaram o revezamento do fogo olímpico de "A Maldição da Tocha".

A empresária, de 64 anos é integrante do Conselho Público Olímpico (CPO) e conduzia a tocha correndo quando se desequilibrou e caiu. Ela foi amparada pelos agentes da Força Nacional, se levantou e seguiu o trajeto de 200 metros. Luiza Helena é dona da rede de lojas Magazine Luiza e chegou a ser convidada para assumir a secretaria de Micro e Pequena Empresa durante o governo Dilma Rousseff, mas negou o convite.



Repercussão A passagem da tocha pelo Brasil já rendeu muitas polêmicas. A mais grave envolveu a participação da onça Juma em uma cerimônia em junho com a tocha olímpica em Manaus. A onça foi abatida com um tiro de pistola no Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs) logo após ser exibida no evento olímpico. Como outra onça, apelidada de Simba, ela havia sido acorrentada e apresentada ao público durante a cerimônia.

A chama Olímpica também foi conduzida com botos-cor-de-rosa em Manaus. Nas redes sociais, muitos internautas criticaram o uso dos animais no revezamento da tocha. 




Em Maracaju, no Mato Grosso do Sul, um homem de 27 anos foi preso após tentar apagar a tocha olímpica com um balde d'água. O suspeito acabou liberado depois de pagar uma fiança de R$ 1 mil. Na ocasião, a polícia informou que não foram encontrados indícios de motivação política na ação do rapaz.

Os Jogos Olímpicos do Rio serão realizados entre 3 e 21 de agosto. Belo Horizonte está entre as capitais que sediarão partidas do futebol olímpico.