Pelo menos R$ 25 milhões devem ser movimentados em leilões, shoppings de animais e vendas diretas entre criadores durante a 35ª Exposição Nacional do Mangalarga Marchador, que começa hoje no Parque de Exposições da Gameleira.
O montante é 25% maior do que o registrado na edição do ano passado, segundo o presidente da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), Daniel Borja. “É um setor que passa longe da crise”, afirma o representante da entidade. 
A criação do animal atravessa um boom, segundo Borja. Por ano, pelo menos 200 novos criadores se associam à ABCCMM. O motivo é a alta aceitação do mangalarga marchador, raça tipicamente brasileira, pelo mercado.
Conforme explica o presidente da associação, trata-se de um animal de sela, ou seja, com cavalgada macia, bom para longos passeios. O bom temperamento também chama a atenção. “É diferente do quarto de milha ou do árabe, por exemplo, que são esportivos, com cela mais dura”, diz.
No Brasil, são cerca de 600 mil cavalos da raça mangalarga machador. Minas, onde o animal surgiu, representa quase metade. A ABCCMM possui 12 mil associados, com 67 núcleos no país e também núcleos no exterior em países como a Alemanha, Itália, Estados Unidos e Argentina. 
Novidade
Durante a exposição, serão realizados quatro leilões. Provas e competições também estão confirmadas em diversas categorias. A novidade para este ano é uma prova dedicada a crianças e jovens de até 15 anos, a “Esporinha”. 
Palestras técnicas são outro destaque. Profissionais especializados farão a análise de resultados de pesquisas científicas envolvendo a raça e levarão informações aos participantes. No “Shopping de Animais”, garanhões, matrizes, potros e animais de sela estarão à venda tanto para reprodução quanto para lazer.
Começa nesta quarta-feira, no Parque da Gameleira, a 35ª Exposição do Mangalarga Marchador
Além das tradicionais competições, crianças e adolescentes de até 15 anos terão uma prova exclusiva
Para todos
Cerca de 180 mil visitantes são esperados na 35ª exposição, considerada a maior da América Latina quando se trata de cavalos de uma mesma espécie. Em 2015 o público foi de 130 mil pessoas.
“É um evento para a família inteira, não apenas para criadores. Este, aliás, é o mote da exposição para este ano”, comenta.
Como atração para quem não tem foco apenas nos cavalos, o presidente da associação cita os shows que serão realizados à noite, o encontro de foodtrucks. As crianças receberão atenção especial, com espaço kids, jogos interativos e uma minifazenda.
A exposição começa às 8h. A entrada para os associados é gratuita. Quem não faz parte da Associação paga R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).