Aeroportos registram fila de espera na área de inspeção de bagagem

Para evitar transtornos, a Anac recomenda que os viajantes cheguem aos aeroportos com duas horas de antecedência

Agência Brasil e Agência Estado

Passageiros enfrentaram filas ontem para a inspeção de bagagens nos aeroportos do país

Os aeroportos de Congonhas e Cumbica, em São Paulo; Santos Dumont, no Rio de Janeiro; e Juscelino Kubitschek, em Brasília, voltaram a registrar filas no setor de embarque, no começo da manhã desta terça-feira (19). O transtorno é consequência de medidas adotadas, desde segunda (18), pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em todos os aeroportos do país, com objetivo de aumentar a segurança dos passageiros.
Veja aqui outras medidas da Anac que começam a valer a partir desta segunda feira (18).
Anac reforçará inspeção nos aeroportos a partir desta segunda-feira
São Paulo
O Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, o mais prejudicado pelas mudanças, dos 41 voos previstos, cinco estavam atrasados na manhã desta terça-feira (19) e um foi cancelado, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).
Às 4h30, uma multidão lotava o aeroporto e formava filas quilométricas nos check-ins das companhias, que dispunham de poucos funcionários para orientar os passageiros.
Assustados com o problema do dia anterior, com os avisos para que antecipassem a chegada, os passageiros madrugaram, mas a chegada mais cedo a Congonhas não foi suficiente para evitar os atrasos nos voos.
Já no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, dos 57 voos previstos desde a 0 hora desta terça-feira, oito atrasaram, sendo dois entre as 7 horas e 8 horas, segundo a Gru Airport, concessionária que administra o terminal. Nenhum voo foi cancelado no maior aeroporto do país.
Rio de Janeiro 
As filas no portão de embarque no Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio,  começaram por volta das 4h30 e deram duas voltas no saguão do aeroporto. Muitos passageiros chegaram mais cedo ao embarque, depois que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) recomendou aos passageiros que chegassem duas horas antes do voos, mas a medida não evitou o transtorno.
Nas redes sociais, passageiros relataram esperas de até uma hora na fila de embarque. "Madrugar no aeroporto para não pegar fila na revista dos passageiros, não tem preço! Será que existe planejamento para realização das Olimpíadas?", disse um homem. Outro, escreveu: "Como sempre, Brasil fazendo tudo às avessas. Agora vamos perder em torno de 30 minutos para passarmos pela segurança do aeroporto, começam a fazer as coisas sem o mínimo de planejamento dá nisso! Passageiros na fila já sinalizam que vão perder o voo e a ponte a área ficará menos ágil".
A Infraero não registrou atrasos de voo no aeroporto, até às 9 horas. Entre os 35 voos domésticos previstos, apenas um foi cancelado.
Primeiro dia das novas regras também tiveram filas 
De acordo com a Anac, no primeiro dia de adoção dos novos procedimentos de inspeção para voos domésticos, o tempo médio de espera variou entre 10 e 45 minutos, com horários de picos específicos. “Em alguns deles, não houve registro de tempo adicional de fila. Na maior parte do tempo não foram registrados tempos de espera significativos”, informou também a Agência. No Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, Região Metropolitana de Belo Horizonte, não registou nenhum atraso significativo.
Veja aqui o balanço completo da Anac.
Para evitar transtornos, a agência recomenda que os viajantes cheguem aos aeroportos com duas horas de antecedência. Também orienta que, enquanto aguardam na fila, os passageiros podem retirar cintos e demais objetos metálicos, antes de passar pelo detector de metais.
Novas regras
Com as novas regras, os passageiros devem retirar o notebook e outros dispositivos eletrônicos da bagagem de mão, deixando-os em outra bandeja ao passar pelo raio-X. A justificativa é que o computador portátil dificulta a visualização no raio-X do interior da bagagem.
As malas de mão também podem ser inspecionadas por agentes dos aeroportos. Antes de entrar nas salas de embarque de voos domésticos, os passageiros podem ser submetidos a uma revista corporal –o método para seleção de quais passageiros serão submetidos à revista não foi divulgado.
A inspeção será feita por um agente do mesmo sexo do passageiro e poderá ocorrer em local público ou, caso seja solicitado pelo passageiro, em área reservada acompanhada por uma testemunha. Segundo as novas regras, divulgadas pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) na última sexta (15), até mesmo crianças poderão ser revistadas.
As mudanças não alteram a lista de itens que já são proibidos na bagagem de mão, como objetos cortantes e garrafas com mais de 100 ml de líquido. As regras estão descritas em um tira-dúvidas com perguntas e respostas publicado pela Anac.