Sala de monitoramento da PM começa a operar em BH nesta quinta (16)

Três militares controlarão os equipamentos em cada turno, acompanhando as 600 câmeras do Olho Vivo; as 30 viaturas do Rotam serão equipadas com tablets para facilitar a transmissão de informações

O Tempo

Projeto piloto começa a operar nesta quinta-feira (16) no Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) 

 Uma sala de monitoramento da Polícia Militar começou a operar nesta quinta-feira (16) no Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam). Com a reunião de todos os sistemas tecnológicos disponíveis, o objetivo é ter mais apoio tático para as operações na capital e na região metropolitana.

"Toda essa tecnologia já estava disponível, mas a estratégia foi integrá-la de tal forma que a gente tenha uma sala que possa dar informações em tempo real para os nossos policiais", afirma o
diretor de tecnologia e sistemas da Polícia Militar, o coronel Fernando Arantes.
Três militares controlarão os equipamentos em cada turno, acompanhando as 600 câmeras do Olho Vivo. "Esse é um projeto piloto, em que nós teremos essa tecnologia à disposição do batalhão Rotam, que tem uma abrangência em toda a região metropolitana", completa Arantes.
Também serão utilizadas câmeras com capacidade de identificar placas de veículos, o que pode ajudar na localização de suspeitos. Outra ferramenta, é um mapa interativo, que permitirá mostrar quais câmeras do Olho Vivo podem ser acessadas em determinados pontos em que as ocorrências estiverem em andamento.
Na rua, cada uma das 30 viaturas do Rotam terá um tablet com acesso às informações enviadas pela sala de monitoramento, o que facilitará o contato entre os militares.
Para o coronel Fernando Arantes,  a intenção é ter uma atuação mais qualificada da Polícia Militar a partir do momento que foi possível integrar as informações através da tecnologia.