Reunião em Itapecerica discute segurança pública na zona rural de São Sebastião do Oeste

Foi realizada nesta quarta-feira (22), uma reunião entre um grupo de avicultores, moradores de São Sebastião do Oeste, Sindicato Rural de Divinópolis e representantes da segurança pública em Itapecerica para discutir a segurança pública no município de São Sebastião do Oeste.
Reunião teve representantes da Acasp, comandantes do 63º Batalhão da PM em Formiga e 3º Pelotão de Itapecerica, além de moradores de São Sebastião do Oeste. (Foto: Wellington Vieira/Divulgação)
De acordo com o Tenente Maurício Gabriel Lima Júnior, comandante do 3º Pelotão da PM de Itapecerica, uma “Rede de Produtores Rurais Protegidos” poderá ser implantada na zona rural de São Sebastião do Oeste, para reforçar os trabalhos da polícia. “A partir dessa reunião iremos estabelecer uma rede de residências rurais protegidas. As pessoas estarão mais conscientes de medidas de segurança e terão contato mais facilitado com a Polícia Militar, consequentemente, mais mobilizados na causa da segurança pública”, explicou.
De acordo com o comandante do 63º Batalhão da Polícia Militar em Formiga, Tenente Coronel Paulo José Azevedo, a reunião foi o pontapé inicial para novos encontros que ainda não tem data marcada. “Aqui foi simplesmente a primeira reunião, de várias outras que virão para fomentar e estabelecer os laços necessários. Além de mobilizar mais pessoas para efetivar a rede na zona rural de São Sebastião do Oeste e posteriormente, na zona urbana. Estamos sensíveis ao problema e não atinge só São Sebastião do Oeste como outros municípios de menor porte e tem se agravado. Creio que o começo para mudar a realidade é justamente a integração. A implementação das redes terá a possibilidade de uma troca de informações maior para que a polícia direcione melhor seu potencial humano e logística”, explica.
Ainda segundo o Tenente Maurício, a Rede de Residências Rurais Protegidas pode contribuir na redução da criminalidade na região de São Sebastião do Oeste. “A partir da rede, as pessoas passam a se observar mais. A vigilância mútua é um fator que acrescenta muito no policiamento preventivo e além disso, a gente passa a ter uma fonte de informação mais fidedigna e eficiente.” O fato das ocorrências serem registradas em Formiga ou Itapecerica não interfere no trabalho da PM de acordo com o comandante do Pelotão de Itapecerica. “Existem projetos para reduzir esses impactos negativos com o plantão regionalizado. Não é um fator que dificulta a prisão de infratores ou a resposta adequada por parte da Polícia Militar. Sabemos que alguns entraves impostos pelo sistema existem e acabam atrapalhando o nosso trabalho, mas fazemos todos os esforços para superar e dar todo resultado positivo para a população de bem”.
Ainda de acordo com o Tenente Coronel Azevedo, com o envolvimento da população da zona rural por meio da Rede de Residências Rurais Protegidas, o trabalho da Polícia Militar em São Sebastião do Oeste pode ser facilitado. No entanto, a integração entre população e PM não pode ser tratada como a solução do problema. “Eu falo a própria vigilância da população, por meio da maior interação e acompanhamento do fluxo de pessoas, principalmente pessoas estranhas. Com direcionamento e capacidade de acionamento mais rápido do serviço policial, ela vai atender melhor a comunidade. Não digo que vá resolver (a violência na zona rural). É difícil porque o problema da segurança é um problema complexo. São vários fatores que implicam na questão de redução ou aumento. Mas, tenho certeza que vá minimizar o número de ocorrências e devolver a população da zona rural a questão da sensação de segurança”.
Conforme o Tenente Maurício, a PM reconhece o aumento da criminalidade nas áreas rurais dos municípios. No entanto, mecanismos como a Patrulha Rural e o reforço em regiões como a zona rural de São Sebastião do Oeste auxiliam no aumento da sensação de segurança da população. “A comunidade rural hoje sofre bastante com o aumento da criminalidade. Mas estratégias estão sendo tomadas para reduzir essa incidência criminal. A população rural pode ficar tranquila que faremos o possível para retomar a ordem na zona rural.
O presidente da Acasp, José Levi Lucas comentou sobre a disposição do comando do 63º Batalhão de Formiga e do 3º Pelotão de Itapecerica em discutir a segurança pública de São Sebastião do Oeste. Entretanto, para José Levi o mais importante foi o envolvimento da população em tratar o problema. “A gente vê com bons olhos a importância do envolvimento das pessoas de São Sebastião do Oeste, buscando soluções para os problemas que tem chegado. Quero parabenizar as pessoas de São Sebastião do Oeste que de forma espontânea compareceram e estão buscando melhorias para a segurança pública. Acredito que daqui pra frente, São Sebastião do Oeste será uma nova cidade, um novo lugar para se viver.”
Sobre uma próxima reunião, que ainda não tem data marcada, o comandante do batalhão de Formiga ressalta que para participar das discussões que envolvem a segurança pública de São Sebastião, é preciso comprometimento com a comunidade. A próxima reunião ainda não tem data marcada. “Não temos limitação de pessoas (na próxima reunião). Mas, sempre falamos que precisamos de pessoas realmente interessadas em participar, que querem se envolver e ajudar a comunidade e a Polícia Militar na segurança. Pessoas conscientes do dever social de participar e colaborar com o dever social de participar e colaborar com a segurança pública.”

Fonte: MPA