Polícia Militar divulga novas informações da “Operação Flecha” no Centro-Oeste de Minas

Prisão de mais pessoas e apreensão de dinheiro, arma e drogas, estes foram os resultados da operação.

(Fotos Polícia Militar/Divulgação)

Mais duas pessoas foram presas nesta quarta (8), em continuidade ao cumprimento dos mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos pela Justiça numa das maiores operações antidrogas já realizadas no oeste de Minas – a operação ‘Flecha’, desenvolvida pela Polícia Militar, Polícia Civil e Ministério Público, através do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado). Na oportunidade, um homem de 31 anos e uma mulher de 30 foram capturados no Bairro Passa Tempo, em Campo Belo. Com eles foram apreendidos cerca de R$ 53 mil em dinheiro, cheques, pedras de crack, buchas de maconha, televisores de procedência duvidosa, caderno de anotações com a contabilidade do tráfico, um revólver calibre 38 e um automóvel.

A operação ‘Flecha’ foi deflagrada em Arcos e teve desdobramentos em Campo Belo, Formiga, Lagoa da Prata, Luz, Bambuí, Pains e Iguatama. Trata-se de uma força tarefa composta pelo Ministério Público, Polícia Militar e Polícia Civil. Foram cumpridos 43 mandados de busca e apreensão e 29 mandados de prisão. Ao todo, 30 pessoas foram presas, além da apreensão de uma escopeta calibre 12, um revólver calibre 32, munições, mais de 50 telefones celulares, balanças de precisão, pedras de crack, buchas e tabletes de maconha, quase R$ 60 mil em dinheiro e 12 veículos relacionados aos crimes tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.
A operação contou com a participação de 117 policiais militares, 80 policiais civis, 55 viaturas, 02 aeronaves e 04 cães treinados na localização de armas e drogas.
A “Operação Flecha” foi desenvolvida como parte integrante de investigação de combate a uma organização criminosa composta por mais de 20 pessoas com atuação na cidade de Arcos e região. Os pedidos de 29 mandados de prisão e 44 mandados de busca e apreensão foram feitos no curso do procedimento investigatório

Ao longo de nove meses de investigação, foram colhidas várias provas do funcionamento de organização criminosa voltada à prática dos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e outras infrações penais.