Operação prende grupo que fornecia droga para alta sociedade de Arcos/MG, saiba mais detalhes da Operação Flecha

Ao todo, 25 pessoas foram detidas; nome dos suspeitos e dos compradores de entorpecentes não foram divulgados para não atrapalhar as investigações; quatro seguem foragidos 

O Tempo

(Foto Jaime Pedrosa/Portal Arcos)
 
Integrantes de um grupo responsável pelo tráfico de drogas da cidade de Arcos, no Centro-Oeste de Minas, foram presos na manhã desta terça-feira (8), durante "Operação Flecha" da Polícia Civil. Ao todo, 25 pessoas foram detidas durante a ação que tinha como objetivo cumprir 29 mandados de prisões preventivas e temporárias. Quatro integrantes da quadrilha seguem foragidos.
A operação foi desencadeada a partir de denúncias anônimas recebidas. Oito meses de investigação levaram a Polícia Civil a identificar que o grupo recebia drogas de várias partes de Minas Gerais e de outros Estados. Já de posse do entorpecente, os integrantes da quadrilha repassavam os alucinógenos para pessoas da alta sociedade da cidade.
"Além de entregar os entorpecentes para essas figuras, o grupo também promovia festas regadas a drogas e a álcool que eram frequentadas por pessoas ricas", explicou o delegado de Polícia Civil Elmer Flávio Ferreira, que coordenou as investigações.
O delegado preferiu preservar os nomes e os cargos ocupados na sociedade por essas pessoas que compravam a droga, mas afirmou que elas também já estão sendo investigadas.
O grupo agia de forma organizada como uma espécie de empresa. "O chefão coordenava tudo, outro administrava e tinha os entregadores", lembrou Ferreira.
Apreensão
Além das prisões, foram apreendidos 45 mandados de busca e apreensão dos bens dos envolvidos que poderiam se tratar de material ilícito. "Foram apreendidos grande quantidade de droga, dinheiro, armas, celulares e aproximadamente dez carros de luxo", contou o delegado.
O material apreendido foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Arcos. Já os presos, que ainda não foram ouvidos, foram levados para o presídio da cidade e ficaram a disposição da justiça.
Operação
A operação, que contou com o apoio da Polícia Militar e do Ministério Público de Minas Gerais, ocorreu nas cidades de Arcos, Formiga, Iguatama, Lagoa da Prata e Bambuí, onde o grupo atuava.
Participaram da ação 210 policiais civis e militares, além de mais de 60 viaturas, cães treinados e os helicópteros Carcará e Pégasus.
O nome da operação foi escolhido a partir do nome da cidade. "Pela cidade se chamar Arcos, escolhemos Flecha para nomear a ação. E também pensamos que poderia ser Flecha já que o objetivo era capturar os alvos", explicou Ferreira