Menino de 9 anos tenta furtar prova e faz quebradeira em escolas de MG

Criança contou com a ajuda do irmão de 13 e o amigo de 11; segundo polícia, aulas foram suspensas nesta segunda

O Tempo

Armários de escola municipal foram arrombados

Um menino de 9 anos, o irmão dele de 13 e um amiguinho de 11 foram levados para o quartel da Polícia Militar de Careaçu, no Sul de Minas, após atos de vandalismo em duas escolas da cidade. No sábado (11), o trio invadiu uma instituição municipal para pegar uma cópia da Prova Brasil, teste nacional aplicado a alunos de quarta e oitava séries.
De acordo com o cabo Paulo Henrique Assis Sousa, o primeiro caso aconteceu na Escola Municipal Comendador Florêncio Nogueira. “Fomos acionados por volta das 20h por moradores informando que a escola estava pegando fogo. Quando a equipe chegou encontrou tudo revirado. Não tinha incêndio no local, os meninos queimaram três livros”, contou o policial.
Ainda conforme o cabo, os garotos entraram pela lateral, onde tem uma obra. Eles quebraram portas de vidro e madeira, arrombaram armários e jogaram tinta guache nos quadros. Não satisfeitos, os meninos ainda foram até a cantina, espalharam alimentos pelo chão e ainda comeram biscoitos.

  “No sábado não conseguimos localizar quem tinha feito isso tudo. Na tarde desse domingo, pessoas que moram perto da Escola Estadual Vereador Joaquim Borges da Costa entraram em contato com a polícia e informaram que estava acontecendo um ato de vandalismo lá. Pulamos o muro da instituição e nos deparamos com os meninos fazendo a mesma coisa”, disse Sousa.
Ao ser indagado, o trio afirmou que entrou na escola municipal para pegar as perguntas da avaliação e resolveu fazer a bagunça. Já em relação à instituição estadual, os estudantes não souberam dizer porque entraram.
Após o registro da ocorrência na Delegacia de Pouso Alegre, cidade vizinha, os estudantes foram entregues às mães. O caso foi acompanhado pela conselheira tutelar Carla Betolaccini.
“As duas famílias já são acompanhadas pelo Conselho Tutelar de Careaçu. Os dois meninos mais novos são estudantes da escola municipal. Já no quartel, o garoto de 9 anos ficou assustado. Vimos que ele ainda tem um pouco de inocência. Os outros dois agiram normalmente”, contou Carla.
Mãe quis agredir filho e polícia precisou intervir
Ainda no quartel, a mãe do aluno de 11 anos quis bater no filho ao saber o que ele tinha feito. Para que a agressão não acontecesse, os policiais precisaram entrar no meio.
“Já a mãe dos outros dois chorou muito. A mulher já não sabe o que fazer, é uma família desestruturada. Ela tem quatro filhos e cuida de todos sozinha”, afirmou a conselheira.

  O conselho fez um relatório que será entregue na comarca de São Gonçalo do Sapucaí. “Vamos continuar acompanhando as famílias e oferecer atendimento psicológico. Precisamos resgatar esses meninos antes que seja tarde”, disse.
Escolas totalmente danificadas
Segundo o policial, as duas escolas ficaram totalmente danificadas e as aulas foram suspensas nesta segunda-feira (13). A reportagem de O TEMPO tentou contato com a secretaria de Educação da cidade para um posicionamento em relação à escola municipal, mas as ligações não foram atendidas.

No caso da instituição estadual, a reportagem aguarda uma reposta do governo.

Prova Brasil
A Prova Brasil é uma avaliação anual desenvolvida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC).
O teste possui questões de português e matemática, além de um questionário socioeconômico que deve ser preenchido pelos alunos.

  O objetivo da prova é subsidiar o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), principal indicador da qualidade da educação nas escolas estaduais e municipais do país.