Mais da metade do Congresso tem problemas com a Justiça

 Entre os deputados federais, 53,2% são citados judicialmente; entre os senadores são 55,6%, ou 45 dos 81 parlamentares

O Tempo

A escalada da operação Lava Jato e andamentos de outras investigações envolvendo o desvio de verbas públicas ampliaram ainda mais o quadro de desconfiança em torno dos membros do Congresso Nacional. De acordo com um levantamento permanente do projeto Excelências, da ONG Transparência Brasil, mais da metade dos componentes Câmara e do Senado possui algum inquérito ou processo em tribunais pelo país.
Entre os deputados federais, de acordo com o índice, os que são citados judicialmente representam 53,2% da Casa. São 273, contra 240 que não possuem ocorrência em tribunais. Entre os senadores o número é ainda maior: 55,6%, ou 45 dos 81 parlamentares daquela Casa, enquanto 36 escapam ilesos ao escrutínio.
Em termos percentuais, o partido campeão em citações em tribunais é o PEN. Os três parlamentares da legenda respondem a processos ou são investigados em inquéritos. No PP, segundo da lista suja, o levantamento aponta que 42 dos 52 parlamentares da legenda têm situações a resolver nos tribunais.
O terceiro da lista é o PSC, com sete citados em tribunais entre os nove parlamentares da legenda (78% do total). Em quarto na lista, o PTdoB: dois dos três nomes da legenda, ou 67% do total respondem a processos ou inquéritos.
O PMDB do presidente Michel Temer registra problemas com 65% da bancada. Em números absolutos, é o campeão em citações: 55 dos 84 parlamentares do maior partido do Congresso brasileiro.
A lista prossegue com o Solidariedade (64% da bancada), PSDB, PTB e PTN (62%), PR (61%), PSD (58%), PT (57%), PR (55%), PSL, PPS e PROS (50%), PSB (45%), DEM (44%), PCdoB e PSOL (33%), PHS (29%), Rede (20%) e PV (17%).
Com relação aos Estados, o campeão em enrolados com a Justiça é o Amazonas, onde dez dos 11 deputados e senadores têm pendências com a Justiça. Minas Gerais tem 52% de seus deputados e senadores sob a mira do Judiciário: 29 dos 56 parlamentares do Estado. Na outra ponta da lista estão Rio Grande do Norte e Roraima (36%).
São incluídos na contagem processos e inquéritos relativos a homicídio, estupro e pedofilia, mas não os de natureza privada (como disputas por pensão alimentícia) nem queixas de crimes contra a honra. No caso dos processos em primeira instância, a lista só inclui aqueles que foram provocados pelo Ministério Público, o que significa que os casos podem ser ainda mais numerosos.
FOTO: reprodução/facebook
as
Piadas. Após cair em uma pegadinha e citar o jurista “Thomás Turbando Bustamante” na comissão do impeachment, o ex-ministro José Eduardo Cardozo é alvo de deboche. Ontem, em um restaurante, um advogado pagou a conta do petista e escreveu: “Cortesia do ilustre jurista Thomás Turbando”.
Costuras finais
Após confirmar o nome do deputado estadual João Leite para a disputa da Prefeitura de Belo Horizonte, o PSDB segue na busca pelo vice e em mais tempo no horário eleitoral gratuito. O deputado federal Marcus Pestana conta que o partido busca construir uma aliança o mais ampla possível, evitando fechar portas, seja para o primeiro, seja para o segundo turno. Líder da minoria na ALMG, Gustavo Valadares diz que o PSDB está nas “costuras finais”. “Ainda vai demorar alguns dias para a gente definir o vice”, conta. Ele diz que a decisão deve ser anunciada apenas na convenção do partido, no fim de julho ou no início de agosto. Ontem, integrantes da Executiva estadual, do diretório municipal de BH e parlamentares estaduais e federais tucanos manifestaram apoio à candidatura de João Leite.
Exilado e conectado
O ex-delegado e ex-deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) está exilado na Suíça desde abril deste ano, depois de ser condenação por violação de sigilo funcional e fraude processual enquanto responsável pela operação Satiagraha. A operação apurava um suposto esquema de compra de votos montado pelo PSDB para aprovar a emenda da reeleição em 1997 e também o interesse de integrantes do PT interessados na fusão da Oi com a Brasil Telecom para garantir verbas ao partido. Protógenes tem usado a internet, principalmente o Twitter, para fazer diversos alertas sobre investigações policiais. Em uma de suas últimas postagens, ele insinuou que “ronda uma ameaça contra Pizzolato caso ele aceite fazer delação”. O motivo seria justamente ligado à empresa Oi.,
“O TCU fez relatório que identificou 578 mil pessoas que receberam assentamentos de forma irregular. São os fantasmas do Incra.” Ronaldo Caiado (DEM)
R$ 17 mi é o custo total da construção do complexo de saúde municipal da cidades de Congonhas, que foi inaugurado ontem no município.
Divergência. O presidente em exercício Michel Temer (PMDB) recebeu na noite de domingo o presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em sua residência oficial, o Palácio do Jaburu. Questionado, Cunha negou o encontro, enquanto aliados de Temer confirmaram a conversa. Eles teriam feito uma análise do “quadro político” atual.
Só para mim
Apesar de ter ocorrido há mais de um ano e meio, a mudança de governo em Minas continua gerando situação inusitada na Assembleia. O que o PT reprovava passou a ser sua palavra de ordem, e o PSDB passou a atacar o que antes eram suas posições. Na reforma administrativa a coisa não é diferente. A oposição, que durante os governos do PSDB defendia o uso de leis delegadas solicitadas pelo Executivo, agora critica o uso de decretos. Na situação, o PT passa a defender que determinadas alterações possam ser feitas pelo governo sem a necessidade de aprovação da ALMG.
“Michel Temer é bandido, corrupto, chefe da quadrilha do PMDB. Como que o filho de 7 anos tem R$ 2 milhões de patrimônio, e ninguém procura a origem disso?” Presidente nacional do PDT, Ciro Gomes.
Pedindo música
Nacionalmente, PT e PSDB protagonizam uma interessante disputa nas redes sociais, um jogo de empurra com acusações que perseguem ambos os partidos. A bola da vez é a expressão “perdir música no ‘Fantástico’”, referência ao programa dominical, que permite ao jogador de futebol que fizer três gols em um jogo no fim de semana escolher uma música durante a exibição dos tentos. Os petistas iniciaram a gozação, dizendo que, ao ser citado pela terceira vez nas investigações da Lava Jato, Aécio Neves já poderia pedir sua música. Agora os tucanos devolvem a brincadeira com a prisão do terceiro tesoureiro do PT.