Justiça confirma condenação de PM acusado de tentar relações sexuais com menor em MG

Um policial militar foi condenado por seduzir e tentar manter relaxões sexuais com uma adolescente de treze anos. A decisão foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que aumentou a sentença para seis anos, oito meses e vinte dias de reclusão, além da impossibilidade de futura nomeação, designação ou contratação em cargos públicos.
A investigação contra o oficial começou a partir de uma denúncia da mãe da adolescente, que apontou que o suspeito utilizava perfis falsos em redes sociais com o objetivo de aliciar menores. Segundo a denúncia encaminhada ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), o réu se passava por “Ana Rosa” para se aproximar da menina e em seguida, solicitou que ela adicionasse “Jonas Ninha”, outro perfil falso do réu.
A partir daí, o oficial ameaçou a vítima de expôr conversas íntimas dela com o perfil “Ana Rosa” caso ela não aceitasse enviar fotografias nuas. Em outro momento, o réu passou a exigir um encontro com a adolescente para a prática de sexo oral. A ação, no entanto, não foi consumada pois a jovem expôs a situação para a mãe, que procurou o MPMG.
As investigações sobre o caso foram realizadas pela Coordenadoria Estadual de Combate aos Crimes Cibernéticos do Ministério Público de Minas Gerais. Em 2014, a Corregedoria-Geral da Polícia Militar cumpriu mandados de busca, apreensão e, posteriormente, prisão contra o oficial que residia em Itabira, região Central do Estado.
Na decisão atual, a Justiça decorreu sobre recurso apresentado pela Promotoria de Justiça de Controle Externo da Atividade Policial de Belo Horizonte.

Com informações do MPMG