Cruzeiro vence mais uma dentro do Horto e manda o Galo para o Z-4

Marcelo Oliveira chega à sexta partida sem vitória desde que chegou ao clube; Raposa, por sua vez, vence a segunda sob o comando de Paulo Bento 

O Tempo

Riascos fez um dos gols da vitória cruzeirense

Emoções à flor da pele, o Cruzeiro provou que o Horto já não é mais um campo inimigo. Taticamente organizado por Paulo Bento, o time azul se impôs sobre o rival – que estendeu tapetes alvinegros para a estreia do atacante Fred – e, de virada, bateu o Galo por 3 a 2.
O resultado empurrou o Atlético para a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, safando o time celeste na área ingrata. Marcelo Oliveira chega à sexta partida sem vitória desde que chegou ao clube. O Cruzeiro, por sua vez, vence a segunda sob o comando do treinador português, chegando ao terceiro triunfo seguido sobre o Galo em pleno Independência.
O jogo esteve quente, do primeiro ao último minuto, com muita entrega, disposição e distribuição de cartões a rodo. Foram 12 no total, sendo quatro vermelhos. Dono da casa, coube ao Galo se impor, mas não foi o que se desenhou ao longo do duelo.
O alvinegro, no entanto, sairia na frente, em falta cobrada por Rafael Carioca por baixo da barreira aos 13 min. Mas o Cruzeiro não sentiu o baque. Pelo contrário. Na jogada individual de Arrascaeta - aliás, o nome do jogo –, Alisson empatou, fazendo o clássico ferver.
Se a Raposa não sentiu quando tomou o gol, o mesmo não aconteceu com o Galo. O Cruzeiro mostrava-se taticamente mais acertado, ao contrário do Atlético, sem um meia de ligação, atacava aos trancos e barrancos.
Para a segunda etapa, o time de Paulo Bento continuava ajustadinho, a Raposa chegaria ao vira-vira aos 3 min com ele, o “amaldiçoado” Riascos, que há 1.078 dias atrás perderia o histórico pênalti na campanha do título alvinegro na Libertadores de 2013. Foi o primeiro gol do colombiano pela equipe celeste.
Na base da raça, Fred, conseguiria levar o Galo ao empate, aos 10 min. Depois de muita confusão e das expulsões de Bryan e Marcos Rocha, Bruno Rodrigo apareceu livre e, de cabeça, voltou a colocar o time azul à frente, aos 16 min.
Em busca do gol da igualdade, o Atlético seguia mal organizado. O Cruzeiro se fechou e se armava nos contra-golpes. A equipe alvinegra só se animou mesmo quando Lucas foi expulso aos 32 min, deixando a Raposa com nove em campo. O Galo foi para o abafa mas de nada adiantou. Lucas Romero ainda levou o vermelho nos acréscimos.