Agentes penitenciários de Minas decidem por fim de greve

Decisão foi tomada na noite deste sábado (11), depois de a Justiça fixar multa de R$ 500 para cada dia não trabalhado; visitas aos presídios de todo o Estado foram normalizadas neste domingo (12)

O Tempo

Após receber uma notificação da Justiça com um valor de multa de R$ 500 mil, por dia, caso não encerrassem a greve, a categoria dos agentes penitenciários de Minas Gerais optou por voltar aos trabalhos na noite deste sábado (11).
Com isso, as visitas estão normalizadas em todos os presídios do Estado neste domingo (12), segundo o presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária de Minas Gerais (Sindasp), Daniel Anunciação. "Não vamos ficar na ilegalidade. Recebemos a notificação e vamos voltar ao trabalho", disse.
Às 14h desta segunda-feira (13), a categoria terá uma audiência de tentativa de conciliação com o governo no Tribunal de Justiça. Simultaneamente, uma assembleia será realizada no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para decidir sobre os rumos do movimento.

Sábado

Durante todo o dia, motins foram registrados em alguns presídios, uma vez que, por conta da paralisação, as visitas de familiares a detentos foram impedidas. Em Bicas II, colchões foram incendiados. Já em Bicas I alguns protestos foram violentos, com tiros e bombas sendo disparados pela Polícia Militar
Nessa sexta (10), agentes penitenciários entraram em greve por conta da falta de pagamento do Abono Fardamento - já pago aos policiais da PM. O sindicato chegou a soltar uma nota reclamando, também, da demora na aprovação da Lei Orgânica do Sistema Prisional e da superlotação do Sistema Prisional e alto déficit de agentes penitenciários nas unidades; e pontuam que atraso no concurso de Edital nº 08/2013.
“Na segunda-feira vamos tentar uma conciliação na Justiça. A greve pode voltar a qualquer momento”, finalizou.