WhatsApp recorre da decisão de juiz sobre bloqueio do aplicativo

A companhia já se demonstrou desapontada com a decisão judicial mais cedo, afirmando que a medida pune 100 milhões de usuários do Brasil

Folhapress

Companhia recorreu da decisão judicial no fim da tarde desta segunda-feira (2)

O WhatsApp recorreu no final na tarde desta segunda-feira (2) da decisão do juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto (SE), sobre o bloqueio do aplicativo.
A companhia já se demonstrara desapontada com a determinação judicial. Para o WhatsApp, a decisão pune 100 milhões de usuários no país.
"Depois de cooperar com toda a extensão da nossa capacidade com os tribunais brasileiros, estamos desapontados que um juiz de Sergipe decidiu mais uma vez ordenar o bloqueio de WhatsApp no Brasil", afirmou, em comunicado.
"Esta decisão pune mais de 100 milhões de brasileiros que dependem do nosso serviço para se comunicar, administrar os seus negócios e muito mais, para nos forçar a entregar informações que afirmamos repetidamente que nós não temos", segue o WhatsApp em nota.
Além da companhia, o presidente da Anatel, João Rezende, também afirmou que o bloqueio foi uma "decisão desproporcional porque acaba punindo todos os usuários".
Para ele, o "WhatsApp deve cumprir as determinações judiciais dentro das condições técnicas que ele tem. Mas, evidentemente, o bloqueio não é a solução".