Santos vira em Florianópolis, mas cede o empate para o Figueirense no final

Peixe segue sem vencer fora de casa

Estadão Conteúdo

O Santos desperdiçou a chance de trazer os três pontos 

O Santos poderia ter voltado de Florianópolis com uma vitória importante, mas sofreu o empate por 2 a 2 do Figueirense aos 47 minutos do segundo tempo, no estádio Orlando Scarpelli, pela terceira rodada, em mais um jogo de arbitragem contestada no Campeonato Brasileiro. O centro da polêmica: o árbitro carioca Wagner do Nascimento Magalhães, que marcou dois pênaltis para o time da Vila Belmiro e não anotou um para o rival.
Os santistas Vitor Bueno e Joel não desperdiçaram. Mas a reclamação do Figueirense foi grande: um pênalti não marcado em um lance difícil, na risca da área. Por reclamação, um membro da comissão técnica do time catarinense acabou sendo expulso.
Wagner do Nascimento Magalhães também expulsou, corretamente, o zagueiro Gustavo Henrique, que cometeu uma falta violenta e desnecessária no segundo tempo, quando o Santos já vencia por 2 a 1. Esse lance prejudicou muito a estratégia do técnico Dorival Júnior, que se viu obrigado a sacar um atacante para repor a perda de um defensor.
Os dois pênaltis que o Santos converteu foram marcados com convicção. O primeiro, na etapa inicial, foi cometido por Ferrugem, que esticou o braço e desviou a trajetória da bola. Pela recomendação da CBF, um lance como esse é pênalti.
Vitor Bueno marcou e empatou o jogo. Foi salvação do time de Dorival Júnior, que dominou a partida no primeiro tempo, mas viu o Figueirense abrir o placar em um único lance: Rafael Moura recebeu livre e, com muita calma, marcou o gol. Foi o terceiro do atacante do clube catarinense no Brasileirão.
O segundo pênalti marcado para o Santos, aos 12 minutos da etapa final, foi mais uma esperteza de Joel, que ganhou do zagueiro Jaime e foi derrubado na área. O próprio camaronês bateu bem e colocou o time santista à frente do placar. Após conseguir a virada, o Santos foi obrigado a se fechar, mas não conseguiu controlar o jogo. O empate do Figueirense foi fruto da pressão do time da casa.
O centroavante Ricardo Oliveira, machucado, faz falta. Isso ficou claro com as chances perdidas pelo Santos no primeiro tempo. A partida contra o Figueirense foi a primeira que o time se viu sem Lucas Lima e Gabriel, os dois convocados pelo técnico Dunga para a disputa da Copa América Centenário, nos Estados Unidos, com a seleção brasileira.
Não é pouco. Victor Bueno, Longuine, Joel e Paulinho, todos que jogaram nesta quarta-feira, têm uma missão mais que complicada nesse campeonato. Dorival Júnior está certo em cobrar reforços, como o atacante colombiano Copete.
FICHA TÉCNICA
FIGUEIRENSE 2 x 2 SANTOS
FIGUEIRENSE - Gatito Fernández; Jefferson, Bruno Alves, Jaime e Marquinhos Pedroso; Elicarlos (Ermel), Jocinei, Ferrugem e Bady (Michael Ortega); Guilherme Queiroz (Dudu) e Rafael Moura. Técnico: Vinícius Eutrópio.
SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato, Vitor Bueno (Serginho) e Rafael Longuine (Matheus Nolasco); Paulinho e Joel (Luiz Felipe). Técnico: Dorival Júnior.
GOLS - Rafael Moura, aos 37, e Vítor Bueno (pênalti), aos 42 minutos do primeiro tempo; Joel (pênalti), aos 11, e Ermel, aos 47 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS - Elicarlos e Jaime (Figueirense); Rafael Longuine, Matheus Nolasco e Paulinho (Santos).
CARTÃO VERMELHO - Gustavo Henrique (Santos).
ÁRBITRO - Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa/RJ).
RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.
LOCAL - Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC).