Renan confirma sessão para votar afastamento de Dilma para quarta-feira

Estadão Conteúdo  


Após um dia marcado por reviravoltas, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), confirmou nesta noite de segunda-feira (9) que a sessão para votar o afastamento da presidente Dilma Rousseff começará na quarta-feira  (11) a partir das 9h. Ele anunciou que a partir das 15h abrirá o livro para que os senadores se inscrevam para falar a favor ou contra a instauração do processo contra a petista por crime de responsabilidade.
Pelo calendário proposto por Renan, a sessão do afastamento de Dilma terá uma série de intervalos: começa às 9h e há uma pausa ao meio-dia; é retomada às 13he uma nova paralisação às 18h; retorna às 19h para concluir os debates e começar a votação, que é aberta e deverá ser realizada por meio do painel eletrônico do plenário.

"A expectativa é que tenhamos pelo menos a participação de 60 oradores", disse Renan, estimando que a sessão pode durar até 10h. Ele e aliados querem concluir a votação ainda na quarta-feira.

O presidente do Senado disse que vai se reunir nesta terça-feira (10) com os líderes partidários a fim de dirimir dúvidas. Entre elas, qual o prazo que haverá para a manifestação, se cinco ou dez minutos para cada um. A defesa de Dilma e o relator da admissibilidade na Comissão Especial do Impeachment, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), também têm direito a se manifestar.