Quatro morrem e quatro ficam feridos após noite de confrontos no Rio

Confrontos ocorreram no Alemão, em Rocha Miranda e na Avenida Brasil.
Mulher foi atingida por bala perdida no Alemão e não resistiu.

Da GloboNews

A violência voltou a assustar moradores em várias regiões do Rio na noite deste sábado (7), quando pelo menos quatro pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas em vários confrontos que ocorreram na cidade.
Os tiroteios ocorreram em várias localidades do conjunto de favelas do Alemão, na Avenida Brasil, e na comunidade Jorge Turco, na Zona Norte. No Alemão, uma mulher morreu e um policial militar foi ferido. A vítima deu entrada em estado grave na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo do Alemão, ferida por bala perdida na Rua 2. Ela chegou a ser transferida para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos. O policial foi atendido e tinha recebido alta médica na manhã deste domingo (8).
De acordo com o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, no início da noite policiais foram até a localidade conhecida como Beco do Galinheiro e impediram a montagem de equipamento de som para um baile funk não autorizado que ia ser realizado.
Com o objetivo de coibir a venda de drogas, os agentes realizaram também vasculhamento pela área e encontraram material para endolação de entorpecente próximo ao Campo do Seu Zé. Por volta das 21h, PMs estavam em patrulhamento pela localidade do Largo do Samba quando foram alvos de um ataque realizado por suspeitos.



Quatro morrem e quatro ficam feridos após noite... por destaknews
Houve confronto e um policial foi ferido de raspão e socorrido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Por volta das 22h, várias equipes policiais passaram a sofrer ataques simultâneos e houve confronto em diversos pontos. As trocas de tiros simultâneas ocorreram no Largo do Cruzeiro, na Rua 2, na Praça do Samba e na Rua Sem Saída. Houve reforço no policiamento por agentes de outras UPPs, do Batalhão de Polícia Militar de Olaria (16º BPM) e do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs.

Na Avenida Brasil, pelo menos quatro pessoas foram baleadas na altura de Manguinhos, após uma troca de tiros entre policiais militares e criminosos. Um suspeito morreu e outro foi ferido e outras duas pessoas que também foram atingidas por balas perdidas foram levadas para o hospital.

De acordo com o Batalhão de Vias Expressas (BPVE), um motorista que passava pela via expressa, no momento do confronto, acabou atingido por um tiro e foi socorrido para o Hospital Getúlio Vargas. Ainda não há informações sobre o estado de saúde das vítimas.
Os criminosos vinham da Ponte Rio-Niterói em um táxi e foram abordados na altura do Caju. Eles atiraram contra os PMs e fugiram, dando início a um tiroteio. Os criminosos seguiram até a altura da Fiocruz, em Manguinhos, onde abandonaram o carro. Os outros dois suspeitos conseguiram fugir. Os policiais apreenderam dois fuzis e granadas com os criminosos.

Na manhã deste domingo, policiais militares do 9° BPM (Rocha Miranda) encontraram dois corpos na comunidade Jorge Turco, em Rocha Miranda. Na noite de sábado, a Polícia Militar foi acionada ao local devido a uma intensa troca de tiros na região. Os agentes também localizaram uma granada e acionaram o esquadrão anti-bombas para recolher o artefato.

Nas redes sociais, moradores relataram o pânico na região na noite de sábado. “Nego ta botando a bala pra comer no Jorge Turco! Cruz credo”, “Bala está voando no Jorge Turco”, diziam alguns dos comentários. Alguns moradores relataram ainda que a comunidade estaria sendo alvo de invasão por uma facção criminosa rival. “Vi no face q tão invadindo o Jorge Turco”, disse outro morador.
Corpo de jovem será enterrado neste domingo
Na manhã de sábado, a jovem Ana Beatriz Frade, de 17 anos, foi morta após uma tentativa de assalto na Linha Amarela, também na Zona Norte. A menina estava no carro com o irmão de dois anos e o padrasto.


Ana Beatriz Frade morreu em assalto no Rio de
Janeiro (Foto: Reprodução/ Facebook)

 
A família ia para o aeroporto Galeão buscar a mãe da menina, que ia chegar de viagem. A jovem morava em Guarapari, no Espírito Santo, e tinha viajado para passar o Dia das Mães com a família.

O crime aconteceu depois que o viaduto de acesso à via expressa, na altura do bairro de Del Castilho, Zona Norte do Rio, foi fechado por homens armados. Durante o percurso, o padrasto furou o bloqueio dos traficantes e a adolescente foi atingida por um dos disparo. Ela estava no banco do carona. Ainda havia outra criança em uma cadeirinha no banco traseiro que saiu ilesa.

O padrasto da vítima tentou fugir antes do disparo. Em entrevista ao RJTV, o delegado da Delegacia de Homicídios, Rivaldo Barbosa, disse que "ele tentou, num ato natural, sair do bloqueio, mas os bandidos num ato covarde efetuaram o disparo". A polícia acredita que oito bandidos estão envolvidos no crime. O corpo de Ana Beatriz será enterrado na tarde deste domingo, em Petrópolis.