Polícia Militar registra ocorrência de ameaça envolvendo integrante do MST e MTC em Arcos/MG


Nesta quarta (18), policiais militares de Arcos, compareceram à Fazenda Faroeste, atualmente ocupada por integrantes do movimento sem-terra (MST) e movimento dos trabalhadores camponeses (MTC), onde o solicitante e gerente da fazenda, um homem de 34 anos, alegou que seu funcionário um homem de 21 anos, foi ameaçado por um dos integrantes do MTC e MST. A ameaça ocorreu após um desentendimento, tendo em vista que os empregados da Fazenda Faroeste haviam colocado trezentos e trinta cabeças de gado da raça nelore em uma várzea que o MTC havia feito o plantio de milho. Devido o MTC não querer deixar o gado nesta várzea, o suposto autor ameaçou a vítima, saindo em sua direção e colocando a mão na cintura, esboçando retirar um objeto ou uma suposta arma, o ameaçando de morte, dizendo: "pera aí que eu te mostro". Compareceu ao local apenas o coordenador do Movimento, tendo ele dito que o suposto autor da ameaça já havia saído do local. As partes foram orientadas a não retirarem o gado do local até resolverem a situação de forma judicial e pacífica. O gerente da fazenda disse que vai manter o gado nesta várzea somente por aproximadamente trinta dias, tendo em vista que não possuem pastos para os animais, pois, alguns deles, já estão agonizando para morrer de fome e fraqueza. Alegou ainda que irá manter um vigia no local para evitar qualquer transtorno. Segundo o coordenador do MTC, o Movimento não irá mexer no gado. Diante dos fatos, as partes foram orientadas sobre os procedimentos cabíveis.