Morre aos 93 anos primeiro reitor da UEMG, Aluísio Pimenta

Ele será velado nesta terça-feira na Academia Mineira de Letras e seu corpo será enterrado no Cemitério da Colina

O Tempo

Professor Aluísio Pimenta morreu aos 93 anos nesta segunda-feira

Morreu nesta segunda-feira (9) aos 93 anos o professor Aluísio Pimenta, primeiro reitor da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Seu corpo será velado nesta terça-feira (10) a partir das 8h na Academia Mineira de Letras e o sepultamento acontecerá às 16h no Cemitério da Colina.
Pimenta estava internado por causa de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ele foi ministro da Cultura em 1985 e também reitor na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
Formado em Odontologia e Farmácia, o professor nasceu em Peçanha, região Leste de Minas, e atuou na reforma do ensino universitário. É dele a frase “Só a educação fará do Brasil um país fácil de governar, difícil de dominar e impossível de escravizar. Esta é minha convicção”.

Para a Uemg o professor é insubstituível. "Nós o consideramos o fundador da Uemg. A concepção e o primeiro projeto da universidade é dele. Sentimos muito a morte dele por tudo o que ele fez pela educação no Brasil", lamentou o atual reitor da Uemg, Dijon Moraes Júnior.
Ainda segundo ele, Aluísio é considerado o eterno reitor da Uemg e são essas as palavras cravadas na coroa de flores enviada para o velório pela universidade.
O governador de Minas, Fernando Pimentel, também enviou uma nota lamentando o falecimento do professor: "Foi com pesar que recebi a noticia do falecimento do professor Aluísio Pimenta, ex-reitor da UFMG, com quem tive a honra de conviver. Minas Gerais perde uma referência acadêmica e uma pessoa sempre sintonizada com as causas sociais e com a defesa da democracia. Aos familiares, manifesto minha solidariedade neste momento".