Mais de meia tonelada de cocaína é encontrada no Porto de Santos

Droga estava escondida em malas, entre carga de celulose, dentro de um contêiner

A Tribuna On-line

Cocaína estava escondida em malas entre carga de celulose (Foto: Divulgação/Receita Federal)

Na maior apreensão de entorpecente do ano no Porto de Santos, 630,7 quilos de cocaína foram encontrados em um contêiner, na manhã desta sexta-feira (13). O carregamento tinha como destino a Europa e foi interceptado em ação conjunta entre equipes da Receita Federal e da Polícia Federal. Até a tarde desta sexta-feira (14), ninguém havia sido preso.

A droga estava divida em 601 tabletes, embalados em plástico colorido, armazenada em 24 malas de viagem de cor escura. Para despistar, ela foi colocada entre uma carga de celulose, que embarcaria no cargueiro Cap San Maleas, com escala prevista para ocorrer em um terminal da Margem Esquerda (Guarujá) neste sábado (14).

"O que chamou a atenção foi uma discrepância de imagem do escâner", afirmou o chefe de divisão substituto de Vigilância e Controle Aduaneiro, da Alfândega do Porto de Santos, Oswaldo Souza Dias Júnior. Ao passar pelo equipamento, os fiscais verificaram "objetos estranhos" (veja destaque abaixo) entre os fardos de celulose empilhados.
Em destaque, droga encontrada durante fiscalização em escâner do Fisco (Foto: Reprodução)
Na abertura da caixa metálica, as malas foram encontradas amontoadas. Cães farejadores do Fisco confirmaram a suspeita de que ali estava escondida a cocaína. Os chefe de vigilância da Alfândega lembra que os criminosos devem ter executado uma técnica conhecida como "rip-off" para, justamente, tentar despistar os agentes de fiscalização.

Trata-se da utilização de um carregamento, aparentemente regular, para envio do material ilícito, sem o conhecimento do exportador e do importador. Ou seja, o contêiner é aberto ilegalmente no trajeto ou no terminal e a droga é escondida ali. Neste caso, a celulose seria desembarcada em Antuérpia, na Bélgica, segundo o delegado Ciro Tadeu Moraes, da Polícia Federal.

Agentes do Núcleo Especial de Polícia Marítima (Nepom) da PF foram acionados. As malas foram levadas à Delegacia da Polícia Federal, no Centro de Santos, e a droga pesada. De acordo com o delegado, ninguém foi preso, mas a investigação deverá determinar possíveis envolvidos no crime. Não há, também,  informações sobre relação deste caso com outros semelhantes.
Cães farejadores da Receita Federal ajudaram na localização da cocaína (Foto: Reprodução)