Hoje em Dia

Atualmente, guardas só podem encerrar ocorrência com a presença da PM
 
A partir da próxima semana, a Guarda Municipal de BH deve começar a fazer a condução e apresentação de suspeitos, sem necessidade de apoio da Polícia Militar. A nova atribuição é prevista no termo de cooperação firmado entre o órgão municipal e a Polícia Civil, publicado na edição do Diário Oficial de Minas Gerais da última quinta-feira. O que ainda será definido é o tipo de sistema a ser utilizado pelos guardas para viabilizar a apresentação dos detidos à autoridade policial.
“Uma lei federal já prevê que o guarda faça a condução do preso. Isso só não era feito até agora porque havia uma dificuldade de como inserir as informações na base de dados do sistema do Estado, através do Reds (Registro de Eventos de Defesa Social)”, afirma o gerente de atividades especiais da Guarda Municipal, Erick Alves Policarpo.
Uma reunião entre as duas corporações, prevista para os próximos dias, vai definir de que forma será feito esse trabalho, se por meio do Reds ou de algum outro sistema. “Isso já é uma necessidade antiga, não só facilita o trabalho do guarda, como também dá para a população a oportunidade de ter mais policiais nas ruas, já que libera a PM dessa tarefa”, garante Policarpo.

Convênio com a Polícia Civil põe fim à necessidade de apoio militar

Na prática, a corporação avalia que pouca coisa vai mudar, uma vez que os agentes já fazem prisões cotidianamente. A possibilidade de concluir a ocorrência só daria mais agilidade ao trabalho realizado atualmente.
Com a mudança, que pode gerar mais demanda por parte da população, já se pensa no acionamento da Guarda Municipal por meio de um canal exclusivo, como o 190 da Polícia Militar. “A intenção é que, no futuro, possamos ter uma central de atendimento específico, como já existe em outras capitais, onde o número 153 é usado para este fim”, explica o gerente.
O convênio, com duração de 5 anos, ainda prevê intercâmbio de conhecimento técnico e tático entre as partes, o que inclui treinamentos na Academia de Polícia Civil (Acadepol) e na sede da Guarda Municipal.
Ao todo, a Guarda Municipal conta com um efetivo de 2.102 agentes. Nem todos estão aptos para portar armas de fogo, pois o treinamento ainda está em andamento.