Em jogo tenso, Atlético é derrotado, e agora conta com fator 'Horto'

Duelo teve arbitragem polêmica, muitos cartões e gol de Michel Bastos, que deu vantagem mínima para o São Paulo

O Tempo

Galo terá que ganhar por dois gols de diferença para avançar à semifinal

São Paulo (SP). O bom senso diz que o árbitro deve terminar uma partida sem ser notado. Em um jogo nervoso, porém, isso torna-se quase impossível. Nesta noite, Wilmar Roldán falhou em assumir as rédeas do "combativo" confronto entre Atlético e São Paulo, no Morumbi. Faltou critério para a aplicação de faltas e cartões, e a partida saiu de seu controle. O Galo não soube trabalhar com esse fator contra e saiu de campo derrotado por 1 a 0; gol de Michel Bastos.
O Atlético volta a campo para receber o Santos, neste sábado, no Independência, pelo Brasileirão. A partida de volta da Libertadores está marcada para a próxima quarta-feira, no Horto.
O jogo
O clima frio sentido no Morumbi foi logo aquecido pela empolgação nas arquibancadas - os atleticanos lotaram sua área e puderam ser escutados nos momentos de silêncio dos tricolores.
No campo, porém, bastaram dois minutos de jogo para que os primeiros atritos entre atleticanos e tricolores acontecessem. Em uma disputa pelo alto, o braço de Marcos Rocha "sobrou" no rosto de Kelvin e a confusão foi armada.

O resultado foi os dois primeiros amarelos - Ganso e Rafael Carioca - dos vários amarelos que estavam por vir. Apenas na etapa inicial o árbitro colombiano Wilmar Roldán amarelou cinco atleticanos e dois tricolores.
A falta de critério nos cartões aplicados irritou os dois lados, principalmente o alvinegro, que sofreu com punições por reclamação - Júnior Urso foi um dos alvos e, assim como Carioca, está suspenso no jogo de volta já que estavam pendurados. Dois exemplos que podem ser apontados são Thiago Mendes ter saído impune após um carrinho por trás em Leandro Donizete, e Ganso não ter sido amarelado após, caído, dar um chute em Carioca.
Do pouco futebol jogado no primeiro tempo, Paulo Henrique Ganso teve uma chance em uma cabeçada dentro da área atleticana, enquanto Robinho não alcançou um cruzamento de Patric, que fez linda jogada pela ponta. Lucas Pratto deixou seu gol, mas estava em posição de impedimento, corretamente marcada pela arbitragem.
Na segunda etapa, o nervosismo dentro de campo foi mantido. Foram necessários quatro minutos para outro amarelo sair - Wesley por falta dura em Leandro Donizete.
Com a bola rolando, o São Paulo teve mais volume no ataque, principalmente usando a bola aérea. E foi pelo alto que o gol tricolor saiu. Leonardo Silva perdeu para Michel Bastos pelo alto, Victor ficou "vendido" no lance e pôde apenas ver a bola estufar as redes alvinegras.