Com um a menos e paredão no gol, Inter vence o São Paulo no Morumbi

Tricolor cria muitas chances, para no iluminado Danilo Fernandes e reclama de pênalti não marcado

Lancepress

 

Sasha marcou os dois gols do Colorado

O São Paulo perdeu, na tarde desta domingo, aquele que era seu maior trunfo na temporada: os 100% de aproveitamento no Morumbi. E o grande responsável por roubar os primeiros pontos do Tricolor no estádio foi o goleiro Danilo Fernandes, que estreou pelo Internacional justamente na vitória por 2 a 1 conquistada pelos gaúchos no jogo da segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Foram quatro defesas difíceis do novo camisa 1 do Inter, contratado para substituir Alisson, vendido à Roma (ITA). E o cartão de visitas do arqueiro foi essencial para que os visitantes suportassem a pressão inicial dos paulistas, inflamados pela classificação à semifinal da Copa Libertadores da América. Movimentação, luta pela bola e marcação adianta quase complicaram o time de Argel Fucks.

Havia, porém, um elemento contrário ao ritmo alucinante do começo da partida. O árbitro Péricles Bassols picou o jogo com faltas inexistentes, brigou com os jogadores que disputavam a bola com mais ímpeto e distribuiu cartões amarelo desnecessários. O que era um jogo pegado, tornou-se uma disputa de nervos das duas equipes com as marcações da arbitragem.

A diferença é que o Inter soube recobrar a consciência mais cedo. Aos 36 minutos, Vitinho não se apavorou quando era perseguido por Maicon e bloqueado por Lugano. O amisa 11 descolou excelente virada de jogo e deixou Eduardo Sasha livre para encobrir Denis. Era o Colorado explorando a grande deficiência tricolor: a falta de cobertura dos laterais aos zagueiros.

O time de Edgardo Bauza voltou mais pilhado ao segundo tempo. Afinal, como diz o slogan da campanha de lançamento das novas camisas do clube, é preciso honrar o Morumbi. No estádio, a equipe acumulava cinco vitórias em 2016 e saiu confiante no segundo tempo de que poderia virar. Faltou apenas combinar com Danilo Fernandes, que fez milagres em cabeçada de Calleri e bomba de Centurión.

Péricles Bassols, no entanto, voltou a ser protagonista. No lance anterior à defesa de Fernandes em chute de Centurión, Calleri havia tentado nova cabeçada, mas a bola que ia em direção ao gol foi cortada pelo braço de Paulão. O árbitro ignorou as reclamações desesperadas dos são-paulinos, que perderam a força ofensiva quando Kelvin e Centurión foram sacados por Patón.

Alex ainda foi expulso por reclamar de suposta agressão de Ganso e deixou os gaúchos com o um a menos. No mesmo lance, aos 37 minutos, Lugano empatou, em seu primeiro gol após o retorno e fez o Morumbi explodir em esperança pela virada. Dois minutos depois, entretanto, foi a vez de Bruno falhar e Sasha receber livre para marcar o segundo dele e sacramentar o triunfo colorado.

Os tricolores param com três pontos no Campeonato Brasileiro e encaram o Coritiba, às 21h45 de quarta-feira, no Couto Pereira. Já o Inter, agora com quatro pontos, agora enfrenta o Sport, no Beira-Rio, às 16h de quinta-feira. A última vitória dos gaúchos sobre o São Paulo havia sido em maio de 2013, também no Morumbi. Desde então, o Tricolor arrancou dois empates e venceu três no duelo.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 2 INTERNACIONAL
Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 22/5/2016 - 16h
Árbitro: Péricles Bassols (PE)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Público/renda: 19.509 pagantes/R$ 615.680,00
Cartões amarelos: Calleri, Lugano, Wesley e Hudson (SAO), Anselmo, Fernando Bob, Artur, Ernando e Eduardo Sasha (INT)
Cartões vermelhos: Alex (INT)
Gols: Eduardo Sasha (36'/1ºT) (0-1), Lugano (41'/2ºT) (1-1) e Eduardo Sasha (43'/2ºT) (1-2)

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Maicon, Lugano e Matheus Reis; Hudson, Wesley (Rogério, aos 28'/2ºT) e Ganso; Kelvin (Lucas Fernandes, aos 22'/2ºT), Centurión (Alan Kardec, aos 22'/2ºT) e Calleri. Técnico: Edgardo Bauza.

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Artur; Anselmo (Nílton, no intervalo), Fernando Bob, Fabinho e Andrigo (Alex, aos 21'/2ºT); Vitinho (Bruno Baio, aos 36'/2ºT) e Eduardo Sasha. Técnico: Argel Fucks.