Atlético consegue empate suado na estreia de Marcelo Oliveira

Cazares anotou o gol alvinegro em cobrança de pênalti; adversários reclamaram de duas penalidades não marcadas

SUPER_FC

Cazares anotou o gol do Atlético em cobrança de pênalti

Marcelo Oliveira fez sua reestreia pelo Atlético com um empate em 1 a 1 diante do xará paranaense, na Arena da Baixada, na manhã deste domingo. O confronto serviu para mostrar ao novo treinador alguns das principais falhas da equipe alvinegra: o caos defensivo no lado direito e a necessidade de saber manejar os desfalques - sem Robinho e Lucas Pratto, o ataque atleticano pouco funcionou.
A próxima partida de Marcelo Oliveira no comando do Atlético será contra o Grêmio, na reestreia do treinador em Belo Horizonte, no Independência.
1º tempo. Com pouco tempo para treinar, Marcelo Oliveira deixou o coordenador técnico Carlinhos Neves tomar a decisão de quem seriam os 11 alvinegros que iniciariam a partida. A defesa teve Edcarlos substituindo o lesionado Leonardo Silva, enquanto o ataque contou com a manutenção de Patric, que teve ao seu lado Cazares, com Carlos e Clayton mais a frente.
A polivalência de Patric, porém, não surtiu efeito tanto no ataque, quanto na defesa. O camisa 29 abusou dos erros de passe e marcação, sendo substituído pelo técnico Marcelo Oliveira no intervalo.
Antes dele sair, aos nove minutos de jogo, o lado direito da defesa alvinegra deu pane, com falhas em sequência de Marcos Rocha, Rafael Carioca e Edcarlos, resultando em gol de André Lima.
Enquanto o setor defensivo do Galo não deu a confiança completa para Marcelo Oliveira, no ataque alvinegro as opções acionadas por Carlinhos Neves não funcionaram como o esperado, devido às decisões equivocadas dos jogadores, principalmente nas ações de Clayton e nos cruzamentos de Douglas Santos.
Já o Furacão levou perigo em chutes de longe e pelo alto, uma das principais dores de cabeça do Galo nesta temporada.
2º tempo. O incômodo placar levou o Galo ao ataque em busca do empate. Contudo, o Furacão encaixou bem a marcação e aproveitava os desarmes para acionar contra-ataques.
A grande discussão da segunda etapa, porém, foram as reclamações de pênaltis pelo lado rubro-negro. O primeiro aos 16 minutos após chute de Nikão e o segundo em briga por espaço na área alvinegra entre Walter e Carlos Eduardo. Entre essas duas queixas da equipe mandante, o juiz anotou uma penalidade para o lado visitante.
A bola tocou na mão de Cleberson depois de um cruzamento na área rubro-negra, e Cazares converteu o pênalti, empatando o confronto.
Nos minutos finais, os dois ataques se jogaram sem muita coordenação e, como consequência, não conseguiram tirar o 1 a 1 do placar.