Às vésperas de ganhar Samu, Uberlândia fica sem viatura dos Bombeiros

Viaturas tiveram que ser remanejadas para atender maior cidade do Triangulo; consórcio prevê para junho o início do atendimento do Samu na região

O Tempo

Uberlândia voltou a contar com unidades de resgate do Corpo de Bombeiros, após ter ficado momentaneamente sem qualquer veículo nessa quarta-feira. As três ambulâncias que atendem a cidade do Triângulo Mineiro ficaram indisponíveis, duas por manutenção preventiva outra por defeito mecânico. Para cobrir as ocorrências, foram deslocadas no mesmo dia viaturas de Uberaba, Ituiutaba e Araguari, cidades de responsabilidade do 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros (5º BBM), sediado em Uberlândia. Nesta quinta-feira, as ambulâncias de Uberaba e Ituiutaba voltaram aos municípios de origem e quatro das seis viaturas do batalhão estão em atividade. Depois do contratempo, o alto comando do Corpo de Bombeiros anunciou que vai destinar mais duas unidades de resgate para Uberlândia.

O 5º BBM é responsável pelo atendimento em 27 municípios, com aproximadamente de 1,2 milhão de habitantes, segundo informações da corporação. São 297 militares e 60 viaturas, o que inclui unidades de resgate, caminhões de combate a incêndio e outros veículos. Nesse recorte, seriam necessárias 24 ambulâncias de resgate, uma vez que o Ministério da Saúde recomenda um veículo para cada 50 mil pessoas.

Com uma população de 662.362 habitantes, segundo estimativa de 2015 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Uberlândia e cidades da região não contam com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). No entanto, tal lacuna pode ser preenchida até no final de junho. “O caso de quarta-feira é emblemático e esperamos que seja o último. Uberlândia é a única cidade do país acima de 500 mil moradores que não tem Samu. O Triângulo ficou em atraso todos esses anos, mas agora temos a chance de fazer um atendimento de qualidade e descentralizado”, afirma Gilmar Machado (PT), prefeito de Uberlândia e presidente do consórcio do Samu do Triângulo.

O consórcio formado por 27 municípios depende da entrega dos veículos de resgate pelo governo estadual para iniciar as atividades. “Consegui nesta quinta, durante visita a Belo Horizonte, a confirmação dos recursos com o secretário Sávio (Souza Cruz, que assumiu a Secretaria da Saúde no começo deste mês) para entrega das viaturas. Com isso, vamos começar as atividades em junho”, prevê. Segundo Machado, na próxima semana termina o curso de formação dos 505 servidores que vão atuar no Samu, incluindo desde motoristas e socorristas até a enfermeiros e médicos emergencistas. Serão 28 veículos divididos entre unidades de Suporte Básico (USB) e de Suporte Avançado (USA).

As unidades do Corpo de Bombeiros serão utilizadas como bases descentralizadas das viaturas do Samu. O acionamento das ambulâncias será feito por meio da Central de Regulação Médica de Urgência que funcionará na sede da 9ª Região Integrada de Segurança Púbica (Risp), em Uberlândia. “Teremos postos avançados em Uberaba,  Ituiutaba, Araguari, Monte Carmelo e Patrocínio; os atendimentos mais simples serão resolvidos naquelas cidades e os graves destinados a Uberlândia. Com isso, vamos desafogar a cidade”, afirma Machado.

As ligações 192 em todo o Triângulo Norte e as ligações 193 de Uberlândia serão direcionadas para a Central de Regulação que providenciará o atendimento. Já as ligações 193 originadas de cada cidade continuarão a ser direcionadas às unidades do Corpo de Bombeiros mais próxima.

O investimento para criação do consórcio do Samu é estimado em cerca de R$ 2 milhões, envolvendo os municípios, estado e governo federal. “Somente com reformas nas unidades, gastamos quase R$ 1 milhão. Nós estamos dispostos a investir o que for possível para ajudar no atendimento de emergência. Era um problema que vinha se arrastando por anos e gestões passadas, prejudicando bastante a população”.

Taxa de incêndio

Em 2015 foram arrecadados cerca de R$ 4,6 milhões com a Taxa de Incêndio,  sendo repassados ao Corpo de Bombeiros cerca de R$ 2 milhões. Desse valor de R$ 400 mil foram empregados em compra de viaturas e o restante em equipamentos, materiais e serviços para o 5º Batalhão.

O Triângulo Mineiro também terá reforço de novas viaturas da corporação. Em dezembro de 2015, o Corpo de Bombeiros adquiriu 163  veículos, ampliando a frota para 1.213 viaturas, com investimento de R$ 14,5 milhões. Destes, R$ 2,9 milhões vieram da taxa de incêndio. Os veículos, incluindo unidades de resgate, estão em processo de distribuição a todas as unidades ainda este semestre, incluindo o 5º batalhão.

Em Uberlândia, além das viaturas dos bombeiros, atuam como apoio ambulâncias básicas da secretaria municipal de Saúde. São 26 veículos com motorista, maca e equipamento de oxigênio. Na ausência do Corpo de Bombeiros, podem fazer atendimentos simples.

“Elas vão continuar no atendimento a postos e unidades de pronto atendimento (UPA), para transportar gestantes, pessoas acamadas e em apoio a unidades avançadas. Mas com o Samu, nossa expectativa é que mais pessoas sejam atendidas e cada viatura com sua destinação”, acrescenta Gilmar Machado.