Aneel aprova reajuste de 3,78% nas tarifas da Cemig

Estadão Conteúdo

Os consumidores de energia elétrica da Cemig, de Minas Gerais, terão um reajuste médio de 3,78% em sua conta de luz. Para o consumidor residencial, especificamente, o efeito real será de 4,21%.O aumento foi aprovado nesta terça-feira (24) pela diretoria colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
Consumidores de alta tensão terão reajuste de 2,06%, enquanto aqueles de baixa tensão terão aumento de 4,63%. O reajuste, que tem validade de um ano, passa a valer a partir de 28 de maio.

Segundo o diretor da Aneel, Thiago Correia, os repasses cobrados mensalmente via bandeira tarifária contribuíram para que o aumento da distribuidora não ultrapassasse 16%. "Por conta da aplicação e dos efeitos da bandeira tarifária, o reajuste caiu 12,45%", comentou.

O deputado Wellington Prado (PMB-MG), presente na audiência pública, protestou contra o reajuste. O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, lembrou, no entanto, que Minas Gerais é um dos Estados com maior incidência de ICMS sobre a conta, o que eleva o preço da energia. No ano passado, o reajuste da Cemig foi de 5,93%.

Espírito Santo
A Aneel também determinou a realização de audiência pública, de 25 de maio a 27 de junho, para definir a revisão tarifária da EDP Escelsa, do Espírito Santo. Os índices propostos são de 1,2% de reajuste para alta tensão e de 1,15% para baixa tensão. A média do aumento é de 1,17%. Depois das audiências, o tema será deliberado pela diretoria da agência.